Portal de Anuncio Sorocaba Classificados em Sorocaba



Portal de Anuncio Sorocaba Classificados em Sorocaba



Portal de Anuncio Sorocaba Classificados em Sorocaba



Portal de Anuncio Sorocaba Classificados em Sorocaba



Facebook






Notícias

RSS Feed - Mantenha-se Informado


21/07 - Escoamento da produção é prejudicado por más condições de rodovia na região oeste de MT
Buracos, falta de sinalização e de acostamento são alguns dos problemas enfrentados por quem passa pela MT-358. Sinfra diz que trecho será concedido à iniciativa privada. Caminhões têm dificuldade para trafegar na MT-358 Reprodução/TVCA Buracos, falta de sinalização e de acostamento são alguns dos obstáculos enfrentados por motoristas que trafegam pela MT-385, que dá acesso à região oeste de Mato Grosso. Os prejuízos são diversos. Um deles é a dificuldade para escoar a produção agrícola dos municípios da região. Luciano Quirino é funcionário de uma algodoeira em Sapezal, a 473 km de Cuiabá. Essa semana, ele perdeu um dos pneus do carro. Para desviar de outro veículo que já estava parada na estrada por problemas ocasionados pelos mal estado da via, Luciano caiu num buraco e pneu estourou. “Agora terei que arcar com os prejuízos e comprar outro pneu”, comentou. A rodovia estadual é uma das principais rotas de escoamento de grãos. Em um trecho próximo à Serra Pareci, as condições estão bem complicadas, além dos buracos, que são grandes, não há sinalização, nem acostamento. Más condições da rodovia tem causado prejuízos aos motoristas Reprodução/TVCA Os caminhoneiros também reclamam. Eles relatam que o perigo de acidente é constante, além de terem um custo alto para manutenção dos caminhões. “Se colocarmos na balança, o lucro é muito pouco, porque o valor o frete está abaixo e o custo de manutenção do caminhão é alto, no 'frigir' dos ovos, às vezes, não compensa”, declarou o caminhoneiro Osmair Carvalho Benício. O trajeto de Tangará da Serra a Campo Novo do Parecis deveria ser de 2 horas e meia a 2 horas e 40 minutos. Entretanto, com as condições da rodovia, essa viagem em um trecho de pouco mais de 150 quilômetros, chega a durar 4 horas. Motoristas têm dificuldade em desviar dos buracos na pista Reprodução/TVCA O produtor João Marcos Morizzo diz que a estrada sempre teve problemas, porém, nos útimos dois anos, a situação tem ficado muito crítica. “Há dois anos uma empresa retirou o asfalto pra colocar outro novo, mas infelizmente ficou pior. Então, acho que deveria ter uma fiscalização melhor, porque refazer um negócio e fazer mal feito não compensa”, disse ele.
 A Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística (Sinfra) informou que a manutenção e limpeza da MT-358 no trecho entre Tangará da Serra e Barra do Bugres estão sendo realizadas. Informou ainda que já foi aberta consulta pública para o processo do programa de concessões de rodovias. Caminhoneiros tentam tapar os buracos Na semana passada, caminhoneiros e as mulheres deles fizeram um mutirão, na tentativa de tapar os buracos da estrada. Fizeram isso por vários finais de semana. Eles jogaram cascalho na tentativa de amenizar os problemas.
Veja Mais

21/07 - Veja concursos e seleções com editais publicados na Paraíba de 21 a 28 de julho
São seis editais com 253 vagas de emprego. Mais de 250 vagas de emprego são oferecidas em seis editais de concursos e seleções publicados na Paraíba nesta semana de 21 a 28 de julho. São 253 vagas de emprego em concursos e seleções na Paraíba. Divulgação Concurso da UFCG para técnico-administrativo Vagas: 86 Níveis: médio, técnico e superior Salários: R$ 1.945,07 a R$ 4.180,66 Prazo de inscrição: até terça-feira (23) Local da inscrição: site da organizadora, Comprov Taxas de inscrição: R$ 48 (médio), R$ 65 (médio e técnico) e R$ 104 (superior) Provas: 15 de setembro Edital do concurso da UFCG para técnico-administrativo Seleção do IBGE para o Censo 2020 Vagas: 400, sendo 8 na Paraíba Nível: superior Remuneração: R$ 4,2 mil Prazo de inscrição: até terça-feira (23) Local de inscrição: site da organizadora, Instituto AOCP Taxa de inscrição: R$ 64 Provas: 1º de setembro Edital de seleção do IBGE para o Censo 2020 CFO BM 2020 Vagas: 10 Níveis: médio Salário: até R$ 7.253,26 Prazo de inscrição: até quarta-feira (24) Local de inscrição: site do Corpo de Bombeiros Taxas de inscrição: R$ 50 Provas: Enem 2019 Edital do CFO do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba CFO PM 2020 Vagas: 30 Níveis: médio Salário: R$ 7.253,26 Prazo de inscrição: até 30 de julho Local de inscrição: site da Polícia Militar da Paraíba Taxas de inscrição: R$ 50 Provas: Enem 2019 Edital do CFO da Polícia Militar da Paraíba Seleção para o Hospital Metropolitano de Santa Rita Vagas: 76 Nível: técnico e superior Remuneração: R$ 998 a R$ 6 mil Prazo de inscrição: até 7 de agosto Local de inscrição: setor de RH do hospital, em Santa Rita Taxa de inscrição: gratuita Provas: 19, 20 e 21 de agosto Edital de seleção do Hospital Metropolitano de Santa Rita Seleção da Prefeitura de Várzea Vagas: 43 Níveis: fundamental, médio, técnico e superior Salários: R$ 998 a R$ 10 mil Prazo de inscrição: 22 de julho a 22 de agosto Local de inscrição: site da organizadora, EducaPB Taxas de inscrição: R$ 40 (fundamental), R$ 50 (médio/técnico) e R$ 90 (superior) Provas: 22 de setembro Edital da seleção da Prefeitura de Várzea
Veja Mais

21/07 - Preço do quilo do tomate aumenta na região de Itapeva por causa da queda na temperatura
Em supermercado de Itapeva (SP), preço do quilo do tomate está R$ 6,59, quase R$ 2 a mais do que nas feiras da cidade. Produções de abóbora também foram afetadas. Geada atinge produções de tomates na região de Itapeva Reprodução/TV TEM O preço dos alimentos nas feiras e supermercados aumentou depois que a baixa temperatura atingiu a região de Itapeva (SP) e afetou algumas plantações de produtores locais. Em uma feira de Itapeva, o preço do quilo do tomate aumentou e varia de R$ 4 a R$ 5, segundo a feirante Ângela Maria Carvalho Machado. “Subiu bastante. Estava R$ 3,50, agora a gente está vendendo a R$ 5, e eu pagava R$ 35 na caixa, agora estou pagando R$ 55, R$ 60. Então subiu bastante”, conta. Ela afirma que apesar do aumento no preço, não teve prejuízo porque o valor do quilo do tomate é maior nos supermercados e, por isso, os clientes têm optado pelo alimento da feira. Aumenta o preço de produtos de hortifrúti na região de Itapeva Reprodução/TV TEM Em um supermercado da cidade, o preço do quilo do tomate está custado R$ 6,59, quase R$ 2 a mais do que nas feiras, de acordo com o aposentado Osvaldo Lara. “Caro. O tomate já faz um tempo que ele está caro mesmo. Está nessa faixa de R$ 6,60, mas é geral, não só aqui. Mamão também está caro. No geral, na temporada de inverno os alimentos ficam mais caros mesmo”, diz. Com as geadas, a produção diminui e o supermercado precisa comprar o alimento de outras cidades, o que faz com que o preço aumente. Aumenta o preço de produtos em feiras e mercados da região de Itapeva O produtor rural Valdir Gomes Pereira conta que perdeu boa parte da produção e o prejuízo foi de cerca de 10 mil caixas de tomate. “A produção deixou a desejar. Podia colher muito mais, mas perdeu bem. Os frutos que produziram estão queimados, não dá para a venda. Eu poderia colher 20 ou 25 mil caixas, mas vou colher 15 mil caixas de tomates”, explica. As geadas também afetaram produções de cereais, além dos hortifrútis, segundo a agrônoma Michelle Traete. “A falta do alimento no mercado faz com que o preço suba. Não tem oferta, o produtor não tendo o produto, o preço sobe e acaba que o consumidor tenha um prejuízo maior”, diz. Produções são prejudicadas por geada na região de Itapeva Reprodução/TV TEM Abóboras Devido às geadas, uma plantação de abóboras de 15 hectares de Itapeva também foi afetada. As folhas foram queimadas e prejudicaram o desenvolvimento da planta. “A plantação foi afetada pela geada, acabou queimando. Faz muito tempo que não dava uma geada com essa intensidade. A gente está aí, esperando para ver se vai recuperar ou se vem outra geada e assim saberemos o prejuízo", afirma o produtor Luiz Eduardo de Morais Branco, que produz cerca de 300 toneladas de abóboras por ano. O produtor também afirma que o preço da abóbora subiu por causa da baixa quantidade do produto nos mercados. Veja mais notícias no G1 Itapetininga e Região
Veja Mais

21/07 - Bolsonaro diz que governo poderá avaliar redução de multa do FGTS
Presidente afirmou que, no futuro, o governo 'pode pensar' em diminuir multa de 40% do saldo do FGTS paga a trabalhadores demitidos sem justa causa. O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo (21) que o governo "pode pensar", no futuro, em reduzir a multa de 40% do saldo do FGTS paga a trabalhadores sem justa causa. Bolsonaro deu a declaração, antes de almoçar em um restaurante em Brasília, ao ser questionado por jornalistas se o governo estuda reduzir essa multa. "Olha o valor [da multa] não está na Constituição, eu acho que não está. O FGTS está no artigo 7º da Constituição, mas o valor é uma lei. A gente pode pensar lá na frente [alterar o valor], mas antes disso eu tenho que ganhar a guerra da informação: eu não quero manchete amanhã dizendo: 'O presidente está estudando reduzir o valor da multa'. O que eu estou tentando levar para o trabalhador é o seguinte: menos direito e emprego ou todo direito e desemprego", afirmou Bolsonaro. O pagamento da multa do FGTS é imposto pela Constituição. Ela determina que a multa a ser paga tem de ser equivalente a quatro vezes o valor de 10% - ou seja 40% - com base no que foi estipulado pela lei que criou o fundo, em 1966. O presidente disse também que a liberação de saques do FGTS pode ser anunciada na quarta-feira (24). "Acredito que seja quarta. A gente está precisando. Um de vocês falou ontem no Alvorada, é um paliativo? É. É uma vitamina que você tem que tomar agora, porque o ano está acabando. Você pode ver as sinalizações da Previdência emplacar alto, no primeiro turno, já fez a bolsa se estabilizar acima de 100 mil pontos. O dólar também caiu um pouco. Já tem gente preocupado que o dólar não pode cair muito para não prejudicar as exportações", disse Bolsonaro. Neste sábado (20), presidente havia dito que o governo está fazendo "pequenos acertos" na proposta. Havia expectativa de anúncio da medida ainda na última semana, mas o governo adiou para a próxima semana. De acordo com o governo, a liberação de saques de contas do FGTS e do PIS/Pasep é uma medida para aquecer a economia. Segundo o ministro Paulo Guedes, a liberação dos saques deve colocar o total de R$ 63 bilhões na economia do país. Desmatamento e nordestinos Neste domingo, Bolsonaro criticou novamente a divulgação de dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) sobre desmatamento no Brasil. Para ele, divulgar dados alarmantes "prejudica" o país. Na sexta-feira (19), durante entrevista à imprensa estrangeira, Bolsonaro questionou dados divulgados pelo Inpe sobre o aumento do desmatamento na Amazônia e disse suspeitar que o diretor do órgão está "a serviço de alguma ONG". O presidente ainda voltou a comentar uma declaração sobre governadores do Nordeste. Em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro questionou se, entre as pessoas que estavam prestando apoio a ele no local, havia algum nordestino ofendido com ele. Antes de um café da manhã com jornalistas da imprensa estrangeira, também na sexta-feira, em uma conversa informal com o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Bolsonaro afirmou que daqueles “governadores de 'paraíba', o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara”.
Veja Mais

21/07 - Com pivôs, produtores investem no cultivo de feijão irrigado durante período de seca em MT
Agricultores preveem produção de média de 40 sacas por hectare na região. Produtores investem na produção de feijão irrigado em MT Alexandre Perassoli/ TVCA O período de estiagem não impediu que produtores no médio-norte de Mato Grosso investissem no cultivo de outros produtos agrícolas. Com o apoio de pivôs, agricultores de Sorriso, a 420 km de Cuiabá, estão obtendo bons resultados com o feijão irrigado. Edson Pina é consultor agronômico em um propriedade onde estão sendo cultivados 1.100 hectares de feijão carioca. Segundo ele, o pivô evita que o produtor fique dependente apenas das condições climáticas para produzir. "O equipamento verticaliza a produção, permite a geração de emprego durante todo o ano e faz com que a economia seja mais favorável, porque a fazenda não precisa parar a produção", comentou. Em outra propriedade do mesmo município, o agricultor João Romangnoli já está na terceira safra deste ano. Em todas, o pivô foi essencial para garantir a boa produtividade. São 680 hectares reservados à produção do feijão carioca. Pivôs garantem produção ao ano inteiro Alexandre Perassoli/ TVCA "Há três anos investimos na sequência soja, arroz e feijão. Tem dado certo, principalmente por causa do fator temperatura. Com o pivô conseguimos equilibrar a umidade do solo e o nível de calor, e com isso, conseguimos melhorar a produtividade", destacou ele. A produtividade média na propriedade de João tem sido de 55 sacas por hectares. Maior do que a média na região, que é de 40 sacas por hectare. Entretanto, o preço é que tem deixado os produtores insatisfeitos. A concorrência com outros estados onde a produção também tem atingido patamares satisfatórios, o custo do frete e impostos tem feito com que a produção local perca de R$ 30 a R$ 40 por saca. Equipamento garante a umidade do solo e a redução de calor na plantação Alexandre Perassoli/ TVCA A saca de 60 quilos, por exemplo, sai entre R$ 130 e R$ 140. Outro fator que incomoda são as pragas que acabam migrando de outras culturas. A mosca branca é um exemplo. "Ela sai da soja, invade as outras culturas e se não tem nada, ela ataca o mato, então é preciso ter um controle para que a praga não inviabilize a produção", alertou o agricultor.
Veja Mais

21/07 - Prefeitura da Serra abre seleção para médicos, nutricionistas e professores de educação física
As inscrições começaram nesta sexta-feira (19) e vão até o dia 24 de julho. As oportunidades são para cadastro de reserva. A Prefeitura da Serra está com dois processos seletivos abertos: um para médicos e o outro para nutricionistas e professores de educação física. As inscrições começaram nesta sexta-feira (19) e vão até o dia 24 de julho. As oportunidades são para cadastro de reserva. Confira os editais. Para nutricionista e professor de educação física, a remuneração é de R$ 2.813,32, que é o salário-base acrescido da insalubridade de 20%. Além disso, há auxílio-alimentação no valor de R$ 300 mensal. A carga horária é de 30 horas. Já o cargo para médico de 40 horas é diarista para atuar na Estratégia da Saúde da Família (ESF). A remuneração é R$ 9.288,94, que é o salário-base acrescido de 20% de insalubridade e da gratificação de incentivo. Também tem auxílio-alimentação no valor de R$ 300 mensal. Os candidatos devem ficar atentos aos critérios do edital. Por ser cadastro de reserva, os candidatos aprovados serão chamados de acordo com as necessidades da prefeitura. Dúvidas podem ser esclarecidas na Secretaria Municipal de Saúde da Serra, pelo telefone (27) 3245-6115. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo
Veja Mais

21/07 - Estiva Gerbi tem inscrições abertas para concurso público e processo seletivo; salários chegam a R$ 8,9 mil
São 42 cargos no certame e 9 áreas diferentes para professores. Há vagas imediatas e cadastro de reserva. Interessados podem se inscrever pela internet até 7 de agosto. Prefeitura Municipal de Estiva Gerbi está com inscrições abertas para concurso público e processo seletivo. Reprodução/Facebook oficial Prefeitura de Estiva Gerbi Estiva Gerbi (SP) está com inscrições abertas para um concurso público com 42 cargos - sendo 21 vagas imediatas e cadastro de reserva - e um processo seletivo para professores em nove áreas de atuação. Os interessados podem se inscrever pela internet até 7 de agosto. Os maiores salários oferecidos são para médico, R$ 8.994,41, e diretor de escola, R$ 4.302,69. Confira a lista completa das vagas abaixo. Veja o edital completo com salários e pré-requisitos As inscrições possuem valores diferentes de acordo com a escolaridade exigida na função. Para alfabetizados, o valor é de R$ 30. Ensino fundamental completo é R$ 40, e ensino médio completo é R$ 50. Já para o ensino superior completo, o valor é de R$ 80. Cargos do concurso público Agente administrativo (a) Agente comunitário de saúde Agente fiscal de rendas Agente fiscal de postura Almoxarife Assistente social Auditor (a) de controle interno Auxiliar de serviços Contador (a) Coordenador (a) pedagógico Cuidador (a) de creche Diretor (a) de escola Eletricista Enfermeiro (a) Farmacêutico (a) Fonoaudiólogo (a) Guarda civil feminina Guarda civil masculino Inspetor (a) de aluno Médico (a) plantonista Médico (a) PSF Médico (a) veterinário (a) Merendeira (o) Motorista Pedagogo (a) Procurador (a) jurídico (a) Professor (a) de educação básica I Professor (a) de educação básica II Artes Professor (a) de educação básica II Educação Física Professor (a) de educação básica II Ciências Professor (a) de educação básica II Geografia Professor (a) de educação básica II História Professor (a) de educação básica II Inglês Professor (a) de educação básica II Língua Portuguesa Professor (a) de educação básica II Matemática Psicólogo (a) Psicopedagogo (a) Salva-vidas Servente Técnico (a) de enfermagem Técnico (a) de RX Técnico (a) de informática Seleção de professores Professor (a) de educação básica I Professor (a) de educação básica II Artes Professor (a) de educação básica II Educação Física Professor (a) de educação básica II Ciências Professor (a) de educação básica II Geografia Professor (a) de educação básica II História Professor (a) de educação básica II Inglês Professor (a) de educação básica II Língua Portuguesa Professor (a) de educação básica II Matemática (reserva) Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas
Veja Mais

21/07 - Como fazer 'networking' quando você é tímido
Você acha assustador falar com pessoas que você mal conhece? Não se preocupe - aqui seguem dicas vitais para que a prática de interagir socialmente seja algo fácil para todo mundo 'Networking' pode ser especialmente difícil para aqueles que são mais introvertidos e reclusos Pixabay/Divulgação A palavra em inglês "networking", com significado de interação social para negócios, quando usada como verbo soa um pouco como um esporte de contato físico – algo parecido com um penoso sistema de namoro rotativo (o chamado "speed-dating"), mas usando cartões de visita. Mesmo que seu círculo imediato de amigos e parentes seja maravilhoso, as pessoas que você já conhece nem sempre (ou nem mesmo de vez em quando) podem ajudar você a encontrar um grande novo emprego ou outra oportunidade. Você precisa, então, contatar pessoas fora de seus círculos conhecidos. Mesmo as pessoas mais abertas e extrovertidas me dizem que odeiam esse caminho para fazer contatos profissionais. Mas a forma com que pensamos sobre "networking" pode ser especialmente difícil para aqueles entre nós que são mais introvertidos e mais reclusos. Para eles, preencher suas agendas com reuniões obrigatórias, almoços e encontros para um café é algo particularmente assustador. Mas há uma boa notícia. Existe uma forma menos exigente de interação social para negócios que você pode praticar no seu próprio ritmo e da sua própria maneira – um estilo que eu chamo de "contato solto". Ele pode mudar completamente a forma como você pensa sobre fazer – e manter – conexões valiosas. Conectar-se com laços fracos Você já conhece mais pessoas do que você pensa porque você possui muitos "laços fracos". Essas conexões são pessoas que você conhece pouco e em quem talvez não pense com frequência. Você as conheceu de passagem ou talvez tenha trabalhado com elas brevemente. Ou você fez um curso ou participou de uma conferência com elas. Eles são amigos de amigos, ex-colegas de trabalho ou de escola. Você não está geralmente em contato com eles – mas seu impacto na sua rede social pode ser enorme. Nos anos 1970, um estudo de sociologia bem conhecido trouxe a ideia de que pessoas com quem você tem menos conexões diretas ou robustas circulam, mais provavelmente, em círculos socais diferentes, então "têm acesso a informações diferentes daquelas que nós recebemos". Então faz sentido que, se nós estamos procurando novas ideias, sugestões ou apresentações, nossas chances de encontrá-las aumenta substancialmente se nós nos aproximarmos de pessoas que estão além do nosso círculo usual. Um exemplo: anos atrás, eu fazia parte de uma equipe bastante unida, numa pequena agência de criação. No ano passado, eu me encontrei por acaso com uma designer daquela época. Embora nunca tivéssemos sido próximas, a antiga camaradagem veio à tona imediatamente assim que ela me disse que estava procurando um novo emprego. Ela me disse que odiava o chamado "networking" e não sabia onde procurar para obter sugestões. Eu a lembrei que ela não precisava começar do zero e mencionei alguns nomes do nosso antigo grupo. Seu rosto brilhou: eram pessoas de quem ela havia gostado. Ela disse que não via problema em enviar uma mensagem para retomar o contato. Quando a vi meses depois, ela tinha novos projetos a caminho com alguns antigos (agora atuais) colegas. Ela havia encontrado seu caminho por meio de seus laços fracos. Mantendo um contato solto Eu espero que agora ela vá cultivar o hábito de manter o que eu chamo de "contato solto" com seus ex-colegas. Assim, na próxima vez que ela tiver uma pergunta, ela não terá problemas em contatar algumas pessoas que estão prontas e dispostas a ajudar. Em seu recente livro Amigo de um Amigo, o professor de negócios David Burkus explora a ideia de que as pessoas que você já conhece são as mais bem posicionadas para ajudá-lo/a. Isso pode soar muito menos assustador para pessoas tímidas – mas pode sabotar seus esforços por novos contatos. Mas existe uma forma de evitar isso. Burkus diz: "Quando temos uma decepção na carreira... nós tendemos a contar isso apenas para um fechado círculo de amigos que podem ou não ser capazes de ajudar... Em vez disso, nós deveríamos procurar nossos laços fracos e inativos, lhes contar nossa história e ver que oportunidades eles têm para oferecer. Melhor ainda, nós deveríamos começar uma prática regular de nos engajarmos novamente com nossos laços fracos ou inativos". Em outras palavras, você não precisa agir como uma pessoa tão sociável e sair contatando pessoas para vê-las pessoalmente em demorados encontros. Há formas menos trabalhosas de manter relacionamentos. Isso é exatamente do que se trata a ideia de manter contatos soltos. É como eu fico conectado com muitas pessoas que eu conheci ao longo dos anos. Se nós já estamos conectados por meio de um serviço como Twitter ou LinkedIn, Instagram ou mesmo Slack, eu posso então enviar uma mensagem privada na plataforma, compartilhar uma notícia que eu sei que despertará interesse ou posso compartilhar um vídeo, um desenho ou um breve alô (Como estão as coisas? Algo de novo?). Isso não é algo que acontece num sentido único: eu também gosto de receber essas mensagens. Essas expressões oferecem um momento de conexão e geralmente não exigem muita resposta ou uma continuação. Mas, se você realmente precisar obter conselho ou orientação, essas são pessoas que responderão, porque você estabeleceu alguma camaradagem ao manter contato com elas. (E isso não é socialmente menos intimidador que pedir a alguém que você mal conhece para bater um papo pessoalmente num Starbucks?) Conectar-se em torno de interesses comuns é um terreno fértil para manter contatos soltos. Como exemplo de como isso funciona na prática: uma ex-colega, Erika, é uma consultora ocupada, trabalha no setor de experiência de consumidores; eu e ela também compartilhamos uma paixão por cachorros. Nós estamos conectadas no Slack e no Twitter, e sempre depois de algumas semanas uma de nós envia à outra algum GIF engraçado de cachorro ou a mais recente história sobre alguma empresa com serviço ruim de apoio ao consumidor. Ocasionalmente, no meio das nossas mensagens pode haver alguma notícia sobre algum workshop ou um trabalho de consultoria. Não importa se você é extrovertido ou introvertido: quando você procurar seus laços fracos e depois mantiver contato com eles, lembre-se de que sua rede virtual de ajuda e suporte é um processo orgânico. Você não cria uma rede do dia para a noite. Da mesma forma que você cuida de um jardim, você cultiva contatos ao longo do tempo. Enviar algumas breves mensagens dando um alô ou compartilhar histórias com alguns contatos é algo que traz grandes recompensas e oferece poucos riscos - mesmo para a pessoa mais tímida. Karen Wickre é consultora sênior no Brunswick Group, em San Francisco (EUA), ex-diretora editorial do Twitter e autora do livro Eliminando o Work de Networking.
Veja Mais

21/07 - Conheça o café arara, variedade resistente a doenças e com boa produtividade
Planta desenvolvida em Minas Gerais necessita de pouca aplicação de defensivos e surpreende com a qualidade dos grãos. Conheça o café arara, variedade resistente a doenças e com boa produtividade O café arara é uma variedade que está se espalhando pelos campos do Brasil. Produtivo e resistente às principais doenças da cultura, a variedade é resultado de um trabalho persistente de pesquisa. Quando pensamos em um pé de café carregado de frutos, normalmente a imagem que vem à cabeça são grãos vermelhos. Mas, no caso desta variedade, os frutos são amarelos. Por causa da cor, este café ganhou o nome de arara. "Na realidade, é só a cor da casca [que muda], dentro é a mesma coisa. Quando a gente cruzou [o arara] com o [café] icatu, a gente combinou resistência e vigor com a produtividade. Isso que a gente busca nesse melhoramento genético do café", explica o pesquisador José Braz Matiello, responsável pelo desenvolvimento da planta. Só este ano, a Fundação Procafé, onde Matiello trabalha, já forneceu sementes para produção de 40 milhões de mudas de café arara. A variedade é considerada um café de porte baixo, o que facilita a colheita. Marco Evandro Manoel é administrador de uma fazenda em Alfenas, sul de Minas Gerais, que conta com 28 hectares do arara. Ele diz que o tamanho da planta torna a retirada dos grãos mais efetiva. "É uma variedade fácil para colher, rende muito na colheita manual. Uma média por dia de 720 litros por pessoa, quando a média para outras variedades é de 400 a 600 litros", conta o administrador. O café arara se adapta a diversas condições climáticas. De Alfenas, a 800 metros de altitude, em um clima mais quente, até o município de Botelhos, com cerca de 1100 metros de altitude, a variedade demonstra bons resultados. Na propriedade onde o agrônomo Lucas Antônio Franco é gerente, 20% de uma área de 160 hectares têm o café arara. Ele lembra que, na hora de renovar os pés, a busca era por cultivares mais produtivas e resistentes. Durante a procura, o agrônomo encontrou a variedade. "A gente viu que ele se destacava entre dos outros materiais, principalmente em vigor e produtividade. Logo que a gente teve a primeira colheita, tivemos outra surpresa: ele superou em qualidade todas as lavouras", afirma Franco. Segundo Matiello, a Fundação Procafé fez testes em 19 campos, espalhados por Minas Gerais, Espírito Santo e Paraná, para comparar o desempenho do café arara em relação ao catuaí, a variedade mais cultivada hoje no Brasil. "Nessas 19 áreas, deu 54 sacas de produtividade média contra 40 do catuaí. São 35% a mais. É bem representativo", destaca o pesquisador. Resistência a doenças e menos aplicações Um dos fatores que impulsionam a produtividade do arara é a sua resistência a doenças. Segundo o pesquisador da Procafé, a variedade é praticamente imune à ferrugem, que é a principal doença da cultura, além de ter bom desempenho contra as bactérias pseudomonas e tolerância à phoma, outros dois grandes problemas do café. A resistência da variedade levou a uma outra aposta na fazenda onde Lucas Antônio Franco é gerente. Como o café arara precisa de menos aplicações de defensivos, eles decidiram apostar no cultivo orgânico, que começou em 5 hectares e hoje estão em 22. Graças à boa produtividade, já existem planos de aumentar essa área em mais 24 hectares. "Com o arara a gente consegue os mesmo patamares do cultivo convencional. Mesma produtividade de um café de sequeiro, foi uma surpresa muito grande", conta Franco. Quando o café dispensa defensivos, ganha valor de mercado. O gerente afirma que consegue vender a saca do arara pelo dobro do preço de uma variedade convencional. O trabalhador rural Sidnei Milani diz que o café arara tem uma qualidade melhor que outras variedades, oferecendo uma renda maior ao agricultor. "O peso é diferente porque os outros [tipos de café] são mais leves até na hora de colher. Esse é um grão maior, bem graúdo e de boa qualidade. Dá uma renda boa por saca", afirma Milani. A única dificuldade apontada por Franco é no momento da colheita. "Como ele amadurece tarde, se a gente vem colher o grão maduro, ele ainda tá bem duro para sair da planta. Tem que fazer com os frutos totalmente maduros", explica. Boa qualidade O classificador e degustador de café Nivaldo Lúcio Figueiredo fez um teste com a peneira 16, considerada alta, e apenas 2,3% dos grãos do arara passaram. No caso do catauí, esse índice ficou em 18,8%. "Os grandes torrefadores [empresas] preferem de peneiras 16 para cima para fazer o café torrado em grãos. Visualmente é muito mais bonito. Essa classificação de peneiras influencia no preço do produto final, tem melhor o valor agregado", afirma Figueiredo. A qualidade do café arara não se restringe apenas ao tamanho dos grãos. O classificador conta que a bebida tem ótimo sabor e vem sendo premiada, com notas acima de 90 pontos em uma escala de 100 pontos. "Esse café tem nos surpreendido nos últimos anos. A gente tem conseguido alcançar alguns prêmios nacionais e internacionais", diz. Como comprar sementes do café arara Para comprar sementes ou tirar dúvidas sobre o café arara, é possível pode enviar um e-mail para contato@funcacaoprocafe.com.br ou ligar para (35) 3214-1411.
Veja Mais

21/07 - Universidade Federal do Acre firma parceria com Jardim Botânico de NY para estudo de plantas da Amazônia
Para pesquisadores, descobrir segredos da floresta é caminho para despertar a consciência sobre a importância de se preservar o patrimônio natural. Universidade Federal do Acre firma parceria com Jardim Botânico de NY para estudo de plant A Universidade Federal do Acre firmou um convênio com o Jardim Botânico de Nova York para impulsionar a pesquisa sobre espécies de plantas nativas da Amazônia brasileira que nunca foram identificadas pelos cientistas. O estado é considerado um berçário para novas espécies da flora amazônica. Um estudo entre 2001 e 2008 coletou 70 novas espécies, o equivalente a quase uma nova variedade por mês. A ideia do estudo é elaborar um mapa para destacar aspectos atrativos da vegetação e um guia ilustrado das espécies de plantas com flores, samambaias e de cogumelos que ocorrem na área do lago do Amapá. "Todas as amostras que coletamos no estado, a gente compartilha com eles e também com o Jardim Botânico do Rio. Eles têm muito mais capilaridade para alcançar especialistas", conta o biólogo Marcos Silveira. Os pesquisadores fazem o registro, seja por fotos ou na coleta de campo para depois serem analisados. "Quanto mais rápido uma planta chega na mão de um especialista, mais rápido a gente tem informação", continua Silveira. Descobrir os segredos da floresta é o caminho para despertar a consciência de todos sobre a importância de preservar o patrimônio natural. "Existe uma importância tanto científica como de responsabilidade ambiental. Isso só enriquece o brasil a botânica, a ciência do mundo", afirma o estudante de biologia José Oliveira de Queiroz.
Veja Mais

21/07 - Furto de gado no interior de São Paulo preocupa criadores
No 1º semestre do ano, quase 400 animais foram levados de fazendas do oeste do estado. Furto de gado no interior de São Paulo preocupa criadores O furto de gado está causando preocupação para pecuaristas do oeste de São Paulo. No 1º semestre deste ano, 375 cabeças de gado foram levados. O criador Jorge Antônio Santos levou um susto quando viu porteira e cerca destruídas em sua propriedade em Mirante do Paranapanema. Quando tentou reunir o rebanho, que tinha 190 cabeças, só encontrou 120. Um prejuízo que, segundo ele, está acima dos R$ 100 mil. A polícia acredita que esse caso esteja relacionado a outros dois. Um deles foi registrado há cerca de 2 meses na mesma cidade e outro, há 3 meses, no município vizinho, Teodoro Sampaio. Todos seriam o trabalho de uma quadrilha especializada em furto de gado. Além destes casos, a polícia civil de São Paulo registrou 77 furtos de gado no oeste paulista só nos seis primeiros meses deste ano.
Veja Mais

21/07 - Aprenda a preparar geleia de framboesa
Dica é colocar os ingredientes na panela, misturar e não mexer mais, apenas deixar cozinhando. Aprenda a fazer geleia de framboesa O Globo Rural deste domingo (21) mostrou uma receita de geleia de frutas, a pedido de um telespectador. O agricultor Claudinei Cassol, de Cerro Grande, no Rio Grande do Sul, produz a fruta e pediu dicas para preparar o alimento. A dica é colocar os ingredientes na panela, misturar e não mexer mais, apenas deixar cozinhando. Veja a receita: Ingredientes 800g de framboesa ½ kg de açúcar* 1 colher de sopa de pectina** ½ colher de café de ácido cítrico diluído em água** *Se você acrescentar outras frutas, como maçã e ameixa preta, dá para diminuir a quantidade de açúcar. **É possível encontrar a pectina e o ácido cítrico em lojas de produtos culinários. Modo de preparo Mexa apenas para misturar os ingredientes e deixe cozinhar até ficar com consistência gelatinosa. Em um fogão industrial, o tempo de preparo fica em torno de 30 minutos. Enquanto a geleia está no fogo, você pode higienizar o recipiente que vai receber o alimento. Ferva potes de vidro com água por 15 minutos e nos 5 minutos finais coloque as tampas para ferver também. Isso vai permitir que o doce seja armazenado por até 1 ano. Outras receitas A Embrapa tem dois folhetos que ensina a preparar geleias tanto em escala industrial quanto para produção artesanal. Para saber como fazer o preparo caseiro, clique aqui. Se você quer aprender a fazer geleia em escala industrial, veja neste link.
Veja Mais

21/07 - Chegada do frio atrasa e prejudica produção de maçãs em Santa Catarina
Fruta precisa de pelo menos 800 horas de frio e, no principal município produtor, a média está em 200 horas até o momento. Chegada do frio atrasa e prejudica produção de maçãs em Santa Catarina O frio em Santa Catarina chegou tarde este ano e prejudicou a produção de maçãs. Esta é a época em que as macieiras estão guardando energia para a brotação, que acontece na primavera. Por isso é que, nesse período, o frio é tão importante. As variedades gala e fuji são exigentes quando o assunto é clima. Para ter uma safra de qualidade e com muitas frutas, são necessárias cerca de 800 horas com temperaturas abaixo de 7,2°C. Em São Joaquim, maior município produtor de maçãs do Brasil, ainda existem pomares com folhas. Esse é um sinal de que o frio esperado para o outono e o inverno veio mais tarde e em menor intensidade. Lá foram registradas, até agora menos, de 200 horas de frio quando eram esperadas 450 horas. Com isso, a planta ainda não está hibernando, ou seja, descansando, o que é fundamental nesse período. O produtor Ronaldo Matos acredita que isso deve atrasar a colheita. "A gente pode ter uma brotação, uma floração mais tarde. O fruto pode vir a nascer um pouco menor", conta. Se daqui pra frente o frio não for suficiente, e o período de dormência atrasar, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) indica que induzir a brotação do fruto é uma alternativa para minimizar os impactos nos pomares. "A gente está indicando fazer o tratamento de quebra de dormência. É o principal tratamento que a gente tem hoje. Ela tem o resultados cientificamente comprovados com doses testadas para minimizar a falta de frio", explica a pesquisadora Mariuccia Schlichting.
Veja Mais

21/07 - Cresce produção de feijão no noroeste de MG
Região deverá colher 3,5% mais que no mesmo período do ano passado, com produtividade maior que a esperada pelos agricultores. Cresce produção de feijão no noroeste de MG A produção de feijão no noroeste de Minas Gerais deverá ser 3,5% maior do que na temporada passada. Os agricultores já estão na época de colheita e comemoram os bons resultados. De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Minas Gerais pode produzir na terceira safra 181,5 mil toneladas do alimento. Segundo a secretaria de Agricultura do estado, até agora menos da metade da área cultivada foi colhida. Na fazenda dos agricultores Pedro Machado e Tiago Donizete Machado, em Guarda-Mor, o trabalho de retirada dos grãos começou há duas semanas, e a produtividade nos 300 hectares irrigados está agradando. "Está surpreendendo, estamos produzindo em torno de 55 sacos por hectare, com qualidade muito boa e custo reduzido, a expectativa é boa", afirma Tiago. O preço também está animando os produtores. O agricultor João Alves, que cultiva o grão em Paracatu, fez as contas e diz que a atividade está compensando o investimento. "Você tem um custo nas áreas irrigadas em torno de R$ 100 por saco. Então, abaixo disso daria prejuízo. [Com o preço] a R$ 150 hoje remunera o investimento", explica Alves.
Veja Mais

21/07 - Sudoeste da Bahia retoma criação de gado 4 anos após seca matar 25% do rebanho
Produtores buscaram novas formas de manejo e de alimentação dos animais para garantir renda e emprego na região. Abate de vacas aumentou. Sudoeste da Bahia retoma criação de gado 4 anos após seca matar 25% do rebanho Os pecuaristas do sudoeste da Bahia estão retomando a criação do gado de corte quatro anos após uma grande seca na região matar mais de 160 mil cabeças, cerca de 25% do rebanho local na época. O trabalho de recuperação vem como resposta a um dos períodos mais críticos da pecuária na região. A estiagem forçou mudanças no manejo. Hoje, os produtores conseguem engordar o gado com mais agilidade e ter o dinheiro na mão rapidamente. “Já conseguimos recuperar 16% e precisamos de mais um tempo talvez três, quatro anos a mais para recuperar o nosso rebanho em sua totalidade. Para isso, precisa da chuva retornando para sua normalidade”, diz Marcelo Ferraz, diretor do Sindicato Rural de Itapetinga, um dos 14 municípios que compõem a região. Historicamente o sudoeste da Bahia não sofre tanto com a seca quanto o sertão do estado. A região costumava ter um índice de chuva de 900 milímetros, mas a média foi caindo ano após ano até chegar a 185 milímetros em 2016. Mesmo sem a normalidade das chuvas, o produtor Genildo Borges foi um dos que já conseguiram recuperar o rebanho por completo. A estratégia foi antecipar as vendas de parte dos animais. "Nós tomamos a decisão na hora certa. A gente tinha um rebanho de 1 mil animais e reduzimos para 700, e a gente conseguiu passar por aquela fase muito ruim mas sem perder animal nenhum", diz Borges. Capitalizado com a venda do gado, o pecuarista conseguiu mudar o manejo da propriedade, principalmente em relação ao tipo de pastagem. "A gente passou a reformar pastos, dividir pastos e fazer uma suplementação nos rebanhos para não ficar dependendo só de chuva", explica. Abate de vaca no lugar do boi Os reflexos da seca de 2015 também podem ser percebidos nos abatedouros. Em um frigorífico de Vitória da Conquista que abatia algo em torno de 800 animais por dia, o fluxo ainda não voltou ao normal. Atualmente, são cerca de 600 cabeças e muitas delas são fêmeas que estão ocupando o lugar do boi gordo. Segundo Lucas Oliveira, funcionário do frigorífico, com o abate indiscriminado para o gado não morrer de fome houve um aumento no número de vacas e novilhas encaminhadas para o local. "Antes, a gente abatia em torno de 25% a 30% [dos animais] de fêmea, o restante de boi. Hoje, a gente chega a abater 55% de fêmea", relata o comprador. Oliveira diz que esse perfil de mercado está atrelado também a uma preferência do consumidor da região. "A novilha tem uma qualidade de carne superior a do boi. A novilha acima de 15 arrobas dá uma cobertura de gordura que o consumidor hoje está adorando. Não se via isso de 2015 para trás", conta o comprador. Para suprir essa demanda, muitos pecuaristas têm trazido as fêmeas de outros estados, como Goiás, Tocantins e Pará. Com as vacas seguindo para o abate, já está cada vez mais difícil encontrar bezerros na região. Um gargalo provocado pela seca e que pode ser resolvido com os ajustes do próprio mercado. "Com a saída do produtor da cria, o preço do bezerro está aumentado. Pode demorar mais um pouco por conta do preço que está se pagando pela fêmea gorda aqui na região, mas algumas pessoas já estão começando a fazer cria novamente", afirma Danilo Ribeiro de Souza, que é técnico de uma propriedade da região. Mudança no manejo do gado Para conviver com as instabilidades do mercado, e também do clima, Souza diz que o pecuarista precisa profissionalizar a criação. "A gente começou a investir em genética, investir em nutrição, em suplementação e de lá para cá a gente não saiu mais", conta o técnico. Com esse novo manejo, veio junto o abate mais precoce dos animais. A média na região é de 30 meses. Na fazenda em que Danilo trabalha o boi está terminado com 24 meses. "Isso me permite um giro maior de capital aqui na propriedade. Você vai entrar com o animal na fazenda, logo ele vai engordar, vai sair e vai gerar receita para propriedade", explica Souza. Com isso, quem lida com o gado no dia a dia pode fazer seu trabalho sem a ameaça de perder o emprego. "Muita gente foi demitida por causa da seca. A gente levantava e não via trabalho, hoje a gente levanta e vê o trabalho para gente fazer", afirma o vaqueiro Robério Oliveira Santos.
Veja Mais

21/07 - Maior consumidor de café do mundo, Brasil tem expansão em mercado de cafés especiais
Em média, o brasileiro toma 839 xícaras de café por ano. Dá mais do que duas por dia. Maior consumidor de café do mundo, Brasil tem expansão em mercado de cafés especiais O Brasil passou os Estados Unidos e se consolidou como o maior consumidor de café do mundo, segundo levantamento da Euromonitor Internacional. Em média, o brasileiro toma 839 xícaras de café por ano. Dá mais do que duas por dia. O mercado está em expansão e em especial o nicho de cafés especiais. Segundo a associação que reúne as indústrias, o mercado do café no Brasil vive a terceira a onda. A primeira trouxe o café para dentro de casa. O tipo instantâneo e a embalagem a vácuo. Na segunda onda, surgiram as cafeterias com bebidas também a base do expresso. A terceira onda chega com o surgimento de marcas regionais. Novas técnicas de fabricação. O consumidor começa a descobrir o sabor do café. A a quarta onda já está chegando, aquela onde além da experiência, cada vez mais, o consumidor quer exclusividade no café. Na loja da empresária Gelma Franco, por exemplo, o cliente pode criar o próprio blend, a própria mistura, por meio de um app. No aplicativo, o cliente marca aroma de entrada, secundário, corpo, acidez, doçura e sabor residual. O cliente leva para casa os grãos e em casa faz todo o processo de torra e moagem, ou já leva o saquinho pronto para consumir. MUSEU DO CAFÉ Rua Quinze de Novembro, 95 – Centro Santos / SP – CEP: 11010-150 Telefone: (13) 3213-1750 Site: www.museudocafe.org.br
Veja Mais

21/07 - Pequenas Empresas & Grandes Negócios: contatos de 21/07/2019
Veja como obter informações das empresas citadas no programa. PAPELARIA FINA VEIO NA MALA Site: www.veionamala.com Email: contato@veionamala.com Telefone: (11) 3807-0407 HAROLDO MATSUMOTO - CONSULTOR DE NEGÓCIOS PROSPHERA EDUCAÇÃO CORPORATIVA Rua Coronel Marcílio Franco, 524 - Vila Guilherme São Paulo / SP - CEP: 02079-000 Telefone (11) 2306-4516 Site: www.prosphera.com.br Email: contato@prosphera.com.br SCARAMELLA PRESS Assessoria de Imprensa do consultor Haroldo Matsumoto: Telefone: (11) 2765-8572 FINA IDEIA Site: https://www.finaideia.com.br/ Telefone: (11) 3331-4445 Email: vendas@finaideia.com.br LOJA VERTICAL FORMA LIQUIDA Cidade: Caxias do Sul/RS Telefone (54) 9 91559894 E- mail: adm@formaliquida.com / comercial@formaliquida.com Site: www.formaliquida.com VC NO PEGN CLINICA GATOS CLÍNICA THE CAT DOCTOR Rua: Sena Madureira Nº667 - Vila Clementino São Paulo/SP - CEP: 04021-051 Site: www.thecatdoctor.com.br E-mail: contato@thecatdoctor.com.br Instagram: https://www.instagram.com/cvthecatdoctor/ Facebook: https://www.facebook.com/cvthecatdoctor PEGN.TEC CASHBACK BEBLUE Site: https://www.beblue.com.br/ E-mail: marketing@beblue.com.br Telefone: (16) 99247-1129 MERCADO PLANALTO Avenida Alvaro Guimarães, 663 – Planalto São Bernardo do Campo - SP Telefone: (11) 4341-5424 / (11) 98157-0920 Site: https://www.beblue.com.br/estabelecimentos/sao-bernardo-do-campo-sp/mercado-planalto/27440 NEGÓCIO CAFÉ ESPECIAL IL BARISTA – UNIDADE VILA NOVA CONCEIÇÃO Rua do Consórcio, 191 - Vila Nova Conceição São Paulo / SP – CEP: 04535-090 Telefone: (11) 2538-1155 Site: www.ilbarista.com.br MUSEU DO CAFÉ Rua Quinze de Novembro, 95 – Centro Santos / SP – CEP: 11010-150 Telefone: (13) 3213-1750 Site: www.museudocafe.org.br
Veja Mais

21/07 - Com consumidor mais exigente, boutique de café vira tendência em São Paulo
Empresária investiu R$ 450 mil e abriu a primeira boutique de café, onde só serve cafés especiais, produzidos por pequenos produtores. Com consumidor mais exigente, boutique de café vira tendência em São Paulo O brasileiro está acostumado a tomar café em padarias, cafeterias, uma onda que surgiu nos anos 2000. Agora, chegou a vez da gourmetização do café. É que o consumidor está cada vez mais exigente. Uma empresária que não entendia nada de café, por exemplo, tem hoje oito lojas especializadas na bebida. E com um detalhe: ela só trabalha com cafés especiais. A Gelma Franco conta que descobriu que não tínhamos lugares para tomar café de excelente qualidade e isso a fez ficar muito curiosa. Ela acabou virando empreendedora do negócio. "Descobri que não tínhamos lugares com esse acesso de tomar cafés com excelente qualidade como expresso", conta Gelma Franco. Tudo começou quando Gelma viajou para a Bélgica em 2002 e lá perguntaram como gostaria de beber o café. De volta ao Brasil, Gelma começou a pesquisar e estudar o mercado do café. E com R$ 450 mil montou em 2003 a primeira boutique de café, onde só serve cafés especiais, produzidos por pequenos produtores. "Entrei em uma cafeteria para me aquecer, estava muito frio. E lá recebi duas perguntas muito diferentes para mim: 'como você quer seu café? e 'que tipo de café você quer tomar?'. Então foi muito diferente escutar isso", conta a empresária. O ticket médio é mais alto do que se cobra numa cafeteria tradicional, mas a clientela paga pela experiência. Para o consumidor conhecer a diferença dos vários tipos de café, Gelma criou um tipo de degustação, “o cupping”, como ela batizou o ritual. Funciona aos sábados, numa das cafeterias em São Paulo. Durante a degustação o consumidor registra as sensações num formulário. Hoje, a empresária tem oito boutiques de café. Para formar mão de obra especializada, ela criou há um ano uma escola que com os segredos do café. IL BARISTA – UNIDADE VILA NOVA CONCEIÇÃO Rua do Consórcio, 191 - Vila Nova Conceição São Paulo / SP – CEP: 04535-090 Telefone: (11) 2538-1155 Site: www.ilbarista.com.br MUSEU DO CAFÉ Rua Quinze de Novembro, 95 – Centro Santos / SP – CEP: 11010-150 Telefone: (13) 3213-1750 Site: www.museudocafe.org.br
Veja Mais

21/07 - Empresário cria aplicativo que "devolve dinheiro aos clientes"
Aplicativo de cashback já devolveu R$ 130 milhões para quase três milhões de usuários do app. Empresário cria aplicativo que "devolve dinheiro aos clientes" O cashback é um programa de recompensa para o consumidor, que recebe, em forma de saldo, parte do valor gasto num produto ou serviço. É uma ótima ideia para fazer um cliente comprar mais em um empreendimento. O aplicativo criado pelo Daniel Cava e mais dois sócios atualizou esse conceito. Ele criou um ecossistema em que é possível gastar o saldo recuperado em qualquer estabelecimento parceiro. Rodrigo Lopes, que tem um supermercado, queria criar um programa de fidelidade, e resolveu investir na plataforma cashback, ou seja, no conceito de “dinheiro de volta”. Rodrigo optou pelo aplicativo criado pelo Daniel Cava e os sócios. "A ideia foi criar uma carteira única de recompensas, onde esse consumidor poderia reunir todos esses incentivos em um ambiente só. Você pode acumular uma recompensa em um posto de combustível e consumir em uma padaria, então formando-se aí um programa de coalização de estabelecimentos físicos locais", explica Daniel Cava. O aplicativo é gratuito para o consumidor. Já o comércio paga mensalidade de R$ 299,00 ou um percentual sobre cada transação realizada. O cashback não é novidade, existe há algumas décadas, mas a diferença é que hoje a tecnologia ajudou a melhorar a experiência. Com o GPS do smartphone é possível identificar e saber onde o cliente está. O aplicativo de cashback foi criado em 2016, no interior de São Paulo. Hoje, está em mais de 300 cidades, espalhadas por nove estados. E para o cliente a operação é fácil: para receber os créditos em um estabelecimento credenciado, ele faz a compra normalmente, faz o pagamento e aí depois é só digitar o CPF. Na mesma hora, o cashback aparece no aplicativo. O aplicativo de cashback já devolveu R$ 130 milhões para quase três milhões de usuários do app. E o Rodrigo, dono do mercado, em 12 meses de uso teve um aumento de 33% nas vendas e de 28% na base de clientes. BEBLUE Site: https://www.beblue.com.br/ E-mail: marketing@beblue.com.br Telefone: (16) 99247-1129 MERCADO PLANALTO Avenida Alvaro Guimarães, 663 – Planalto São Bernardo do Campo - SP Telefone: (11) 4341-5424 / (11) 98157-0920 Site: https://www.beblue.com.br/estabelecimentos/sao-bernardo-do-campo-sp/mercado-planalto/27440
Veja Mais

21/07 - Veterinária fatura com clínica com atendimento especial para gatos
A clínica tem recepção, consultório e som ambiente só para gatos. Veterinária fatura com clínica com atendimento especial para gatos Quem tem animal de estimação sabe que quando leva o bichinho para uma clínica ou pet shop, ele pode voltar estressado com o convívio com outros animais. Foi pensando nisso que a veterinária Victoria Cavalcante resolveu se especializar no atendimento de gatinhos. Victória diz que observou que na faculdade de veterinária sempre se aprende mais sobre cachorro e que as clínicas sempre atendem mais cachorros. Na clínica que ela montou são feitos: atendimento médico, cirurgias e tratamento dentário para gatos. "Na faculdade a gente aprende tudo sobre os cachorros. E por esse preconceito com os gatinhos eu acabei querendo trabalhar só com eles", conta Victoria. A consulta custa, em média, R$ 330. A clínica tem a certificação como “Cat Friendly”, clínica amiga dos gatos. E para obter esse selo, teve que cumprir alguns requisitos: ter recepção e consultórios só para gatos. Ela também usa um hormônio felino no ambiente, para deixá-los mais tranquilos. A clínica também tem som ambiente para gato. É um tipo de música específica, como se fosse uma música clássica, que acalma os bichinhos. Em um ano e meio, a clínica cresceu 30%. Para o futuro, a empresária quer mais funcionários, ter mais um especialista em felinos, e depois, oferecer o serviço de internação e atendimento 24 horas. CLÍNICA THE CAT DOCTOR Rua: Sena Madureira Nº667 - Vila Clementino São Paulo/SP - CEP: 04021-051 Site: www.thecatdoctor.com.br E-mail: contato@thecatdoctor.com.br Instagram: https://www.instagram.com/cvthecatdoctor/ Facebook: https://www.facebook.com/cvthecatdoctor
Veja Mais

21/07 - Empresários apostam em conceito de loja vertical em Caxias do Sul
Espaço é suficiente para acomodar todos os produtos e, ainda assim, fazer um modelo enxuto de loja. Empresários apostam em conceito de loja vertical em Caxias do Sul Empresários de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, criaram um modelo de negócio inovador: a loja vertical. O conceito pode ser aplicado em shoppings, galerias e aeroportos. Eles montaram uma loja de produtos decorativos na parede de um shopping. São quatro metros de altura, nove de largura e apenas 60 cm de profundidade. Mas, o espaço é suficiente para acomodar todos os produtos e, ainda assim, fazer um modelo enxuto de loja. A ideia foi dos sócios Ana Rossato, Débora Garret e Thiago Zanella. Eles já se conheciam quando decidiram abrir a empresa com investimento de R$ 120 mil. "Nós queríamos trazer um produto feito com iluminação, que é uma demanda que o mercado precisa. Porque iluminação além de funcional também é aconchegante", disse Thiago Zanella. Primeiro, eles abriram a fábrica, onde eles fazem a criação e montagem de peças, como luminárias, enfeites, painéis e abajures. Os objetos são inspirados na cultura brasileira e na proteção da fauna e da flora. Quatro meses depois de abrir a fábrica, a loja foi inaugurada. O lugar escolhido foi uma parede vazia num shopping de Caxias do Sul. Andreia Rossato, a arquiteta do projeto, explica que precisava aproveitar cada milímetro de espaço. O negócio chama a atenção dos clientes porque não tem porta: é só passar pelo corredor e já está dentro da loja. A empresa vende entre 100 e 150 peças por mês. E o modelo de negócio funciona bem, porque perto da loja, tem um armário que serve como estoque. A vantagem é que a empresa consegue receber e repor as mercadorias a qualquer hora do dia. Como a ideia funcionou bem em Caxias do Sul, os empresários já estão formatando franquia para levar a loja vertical para outras cidades do Brasil. "Estamos visando shoppings, aeroportos, centros comerciais e principalmente aonde o público precisa ter essa imersão e fazer sentido para essas pessoas", explicou Thiago. FORMA LIQUIDA Cidade: Caxias do Sul/RS Telefone (54) 9 91559894 E- mail: adm@formaliquida.com / comercial@formaliquida.com Site: www.formaliquida.com
Veja Mais

21/07 - Investimento em loja física aumenta vendas de papelaria
No primeiro mês de funcionamento, a loja de André e Ana faturou três vezes mais que o site. Investimento em loja física aumenta vendas de papelaria Os empresários André Pimenta e Ana Becker ficaram seis anos vendendo artigos de papelaria e de decoração pela internet. Em abril deste ano, abriram uma loja num shopping em São Paulo e viram as vendas aumentar. Para montar uma pequena papelaria física, eles investiram R$ 150 mil. O consultor Haroldo Matsumoto diz que o interesse por materiais diferenciados de papelaria tem crescido muito nos últimos anos. "Esse interesse por materiais diferenciados, uma papelaria, artigos que você possa personalizar tem crescido muito nos últimos anos", explicou Haroldo. Ele também ressalta que numa loja física o empresário consegue expor os produtos, vira um showroom. Já na loja virtual, a divulgação pode ser feita para muitos lugares. Quem puder investir nos dois formatos de negócio precisa notar que os modelos de negócios se complementam. Mas, a dica é sempre fugir do tradicional. A saída, então, é criar produtos exclusivos, cheio de cores, apliques e mensagens motivacionais. "Na loja física ele consegue expor os produtos e vira um showroom. E a loja virtual ele consegue divulgar para muitos lugares e o cliente pode fazer a recompra através do comércio eletrônico. Ele já conhece e compra de novo pela internet. Uma não compete com o outro, eles se complementam para alavancar as vendas", completa Haroldo. No primeiro mês de funcionamento, a loja de André e Ana faturou três vezes mais que o site. O consultor Haroldo Matsumoto fala que 80% das compras são decididas no ponto de venda, então se o ponto de venda não é agradável o cliente vai embora e não compra nada. "Nosso produto, a papelaria, ele precisa muito do toque para a pessoa entender melhor o que está comprando, pegar, utilizar, ver como funciona e a loja física supre todas essas necessidades", explicou André Pimenta Os empresários renovam, a cada seis meses, quase todo o estoque. A maior parte dos produtos vem de fábricas terceirizadas. De uma delas, por exemplo, saem 40 mil peças por mês para mais de 500 lojas no país, entre elas a loja do André e da Ana. "Para sair da mesmice, ou seja, para não entrar na mesma linha onde grandes as papelarias vendem, a gente precisa garimpar. Garimpar até o fornecedor além do produto. Hoje estamos com uma gama de 60 fornecedores", completa André. VEIO NA MALA Site: www.veionamala.com Email: contato@veionamala.com Telefone: (11) 3807-0407 HAROLDO MATSUMOTO - CONSULTOR DE NEGÓCIOS PROSPHERA EDUCAÇÃO CORPORATIVA Rua Coronel Marcílio Franco, 524 - Vila Guilherme São Paulo / SP - CEP: 02079-000 Telefone (11) 2306-4516 Site: www.prosphera.com.br Email: contato@prosphera.com.br SCARAMELLA PRESS Assessoria de Imprensa do consultor Haroldo Matsumoto: Telefone: (11) 2765-8572 FINA IDEIA Site: https://www.finaideia.com.br/ Telefone: (11) 3331-4445 Email: vendas@finaideia.com.br
Veja Mais

21/07 - Como proceder em caso de sequestro de dados por um Ransomware?
Blog também tira dúvidas sobre golpe SMS para roubar contas bancárias e idade mínima exigida para criar uma conta no Instagram. (Se você tem alguma dúvida sobre tecnologia, utilize o espaço para comentários abaixo e escreva sua pergunta) Como proceder em caso de sequestro de dados por um Ransomware? Oi, Ronaldo! O servidor da minha empresa teve os dados sequestrados por Ransomware. Eu consigo acessar o sistema operacional, porém todos os arquivos ficaram inacessíveis e no lugar deles um arquivo contendo instruções para o depósito em bitcoins. Como devo proceder para reaver os arquivos? – Mariane Olá, Mariane! O objetivo principal dos criminosos é receber um pagamento para liberar a chave de criptografia que deixou os seus arquivos inacessíveis. Efetuar o pagamento exigido não garante que irão cumprir com a parte deles, e só aumentaria o prejuízo. A cada novo Ransomware, as empresas de segurança procuram desenvolver ferramentas para a remoção do programa malicioso e a recuperação de dados. O ideal é que você identifique qual é o nome do Ransomware e verifique se já existe uma ferramenta de remoção. Geralmente o nome da praga digital é adicionado ao nome do arquivo que foi criptografado. Nessa página aqui você encontra diversas ferramentas para a remoção de programas maliciosos e a recuperação dos arquivos. O site No More Ransom oferece ajuda para identificar a praga digital e recomenda a ferramenta mais apropriada para decifrar os arquivos. Por favor, informe mais detalhes sobre qual Ransomware foi usado para infectar o seu computador, pois dessa forma poderei indicar a solução mais apropriada para o seu problema. Site ajuda a desbloquear computadores que foram atacados por ransomwarw Reprodução Faltou falar sobre golpe SMS para roubar contas bancárias Eu não encontrei nada sobre a vulnerabilidade do SMS no especial sobre privacidade dos dados no WhatsApp – Eliane Castro Olá, Eliane! A publicação de dicas para controlar a privacidade da conta no WhatsApp apresentou as funcionalidades disponíveis até o momento no aplicativo. Série em blog do G1 mostra como controlar a privacidade nas redes sociais As fraudes cometidas por golpistas usando mensagens enviadas por SMS para roubar contas bancárias, é prática criminosa que não está relacionada diretamente com o WhatsApp, pois nela os golpistas recorrem a engenharia social para persuadir as vítimas. Recentemente o blog colaborou dando dicas de segurança numa reportagem para o programa Fantástico sobre esse tipo de crime. As principais recomendações de segurança são as seguintes: Jamais fornecer o token de segurança em mensagens de SMS, aplicativos ou chamadas telefônicas; Os bancos não entram em contato por telefone, e-mail, SMS com os clientes para solicitar a senha antiga num processo de redefinição de senha. Monitore com frequência as atividades na conta corrente; Só acesse os aplicativos de banco usando uma rede de internet conhecida; Não instale aplicativos obtidos fora das lojas oficiais. Por que somente usuários maiores de 13 anos podem criar perfis no Instagram? Oi, Ronaldo! A conta da minha filha foi banida no Instagram porque ela tem menos de 13 anos, por que isso aconteceu? — Nádia Olá, Nádia! Todos os serviços online e redes sociais seguem uma lei americana conhecida como COPPA (Ato de Proteção Online à Criança, na sigla em inglês), que pretende dar mais proteção à vida privada das crianças na internet. Como a maioria das empresas de internet são americanas, todas seguem essa determinação. E, por estar previsto no texto que a idade mínima para o acesso de crianças é de 13 anos, a rede social seguiu essa legislação. Quando uma conta é criada no Instagram, é exibida a política de privacidade, que deve ser lida e aceita pelo usuário somente se ele concordar com os termos de uso. A verificação que restringe a idade mínima é facilmente burlada, bastando colocar um ano de nascimento apropriado. No entanto, o Instagram possui um mecanismo de verificação que permite que eles identifiquem contas irregulares de usuários. Se não for comprovada a idade mínima, a conta é banida. Essa restrição foi criada para proteger as crianças dos abusos cometidos na internet. Alguns estudos mostram que essa faixa etária é a mais vulnerável. Selo Ronaldo Prass Ilustração: G1
Veja Mais

21/07 - Programa do microempreendedor completa 10 anos com 54% de empresários inadimplentes
Segundo o governo, país possui 8,6 milhões de empresários na categoria, que reúne de 'bikeboys' a cabeleireiros. Grupo tem acesso a benefícios, como empréstimos a juros mais baratos. O programa do microempreendedor individual (MEI) completou dez anos de existência neste mês com 8,6 milhões de pequenos empresários cadastrados, mas com um antigo problema ainda presente: um alto índice de inadimplência. Em maio deste ano, último dado disponível, 54% dos empreendedores não estavam em dia com suas contribuições, de acordo com a Receita Federal. Quando estão inadimplentes, os pequenos empresários não têm direito aos benefícios da chamada rede de proteção social: salário-maternidade (a partir de 10 meses de contribuição); aposentadoria por invalidez e auxílio-doença (após 12 meses de contribuição); de auxílio-reclusão e pensão por morte para seus dependentes. Além disso, também não podem contar esse tempo para a aposentadoria por idade. O MEI nasceu para incentivar a formalização de pequenos negócios e de trabalhadores autônomos como vendedores, doceiros, manicures, cabeleireiros, eletricistas, entre outros, a um baixo custo. Podem aderir ao programa os negócios que faturam até R$ 81 mil por ano (ou R$ 6,7 mil por mês) e têm no máximo um funcionário. Guia do MEI: veja passo a passo como formalizar seu negócio O registro de MEIs permite ao microempreendedor ter CNPJ, a emissão de notas fiscais, o aluguel de máquinas de cartão e o acesso a empréstimos (com juros mais baratos). Além disso, também poderá vender seus produtos, ou serviços, para o governo, além de ter acesso ao apoio técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). No Portal do Empreendedor, há quase 500 atividades listadas que podem ser exercidas por microempreendedores individuais. Entre elas, carreiras mais tradicionais, como cabeleireiros e açougueiros, algumas mais recentes, como "bikeboys", e outras exóticas, como comerciante de artigos eróticos, de perucas e humorista e contador de histórias. Microempreendedor individual pode tomar empréstimo e participar de licitações Inadimplência Para diminuir a inadimplência no programa, o governo tem buscado "facilitar ao máximo" a emissão das guias de pagamento, que podem ser feitas "online" (inclusive por meio de débito automático), no site do microempreendedor, e também conscientizar os trabalhadores, de acordo com o subsecretário de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato do Ministério da Economia, José Ricardo da Veiga. "O programa como um todo tem apresentado um índice de inadimplência, que chegou ao pico de 70% [no passado]. Mas não é inadimplência acumulada. Tem prestação 'pulada', pessoas que estão pagando com algum atraso", disse José Ricardo da Veiga em entrevista ao G1. Ele observou que os empreendedores, com dívidas em atraso, podem regularizar suas contas por meio do parcelamento convencional – cujas regras estão disponíveis no site da Receita Federal. O valor mínimo de cada parcela é de R$ 50,00. Veja o passo a passo de adesão ao parcelamento Regras do MEI Ao se cadastrar como MEI, o empresário é enquadrado no Simples Nacional – com tributação simplificada e menor do que as médias e grandes companhias – e fica isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Atualmente, o custo mensal do registro é de R$ 49,90, que pode ser acrescido de R$ 1 se o ramo exercido for comércio ou indústria (ICMS), ou de R$ 5, em ISS, se for do ramo de serviços - totalizando R$ 54,90. Se o negócio envolver essas três atividades (comércio, indústria e serviços), o valor mensal é de R$ 55,90. Por outro lado, além de contribuir mensalmente, o microempreendedor também deve entregar anualmente a Declaração Anual do Simples Nacional – Microempreendedor Individual (DASN SIMEI), manter o controle mensal do faturamento, emitir notas fiscais para pessoas jurídicas, guardar as notas fiscais de compra e venda e realizar os recolhimentos obrigatórios (se tiver um funcionário). Crescimento Nos últimos 5 anos, desde o período pré-recessão, o número de MEIs no país já cresceu mais de 120% (veja na tabela acima). "O MEI, na verdade, representou aporta de entrada para formalização para aqueles que não conseguiam cumprir esse processo burocrático ou que não tinham condição financeira de dar um passo maior. No ciclo de dez anos para cá, você consegue fazer a o despertar da vocação empreendedora. Antes, ele ia para a informalidade", avaliou o superintendente do Sebrae do Distrito Federal, Valdir Oliveira. Segundo ele, o forte crescimento no número de microempreendedores nos últimos anos tem relação com o fraco nível de atividade da economia, que registrou recessão em 2015 e 2016. "Tudo a ver com a crise. É uma hora em que você repensa a vida e o sonho vem fortemente. Os que conseguem ter energia pensam em mudar de vida e ter oportunidade de ter o próprio negocio. O MEI é uma porta de entrada. Brasília tem surpreendido no numero de formalizações fiscais, mas isso está se repetindo em todo Brasil", disse Oliveira. Empreendedorismo Para a microempreendedora Clarice Martins Duarte Gomes, que vende marmitex em Brasília, apesar de o programa ser bom, a regra de poder contratar apenas um funcionário limita a capacidade de produção. Ela julgou ser fácil o procedimento de pagamento mensal, e disse nunca ter tido problema de inadimplência, mas entende que isso afeta outros microempreendedores. "É mais falta de organização, porque é uma maneira de você ter alguns direitos mais tarde", declarou. Já a empreendedora Maryane Medeiros Fortes Machado, que trabalha com bordados e costura criativa, como guardanapos, kits para cozinhas e fraldas, entre outros, julga que o site do microempreendedor individual é "bem complicado". "Quando vai entrar, te jogam em várias janelas até chegar onde quer. O meu ainda está inadimplente, não pela falta de ter o dinheiro para pagar, mas pela burocracia de estar tirando os comprovantes", disse. Em sua visão, seria mais fácil pagar tendo boletos em mãos. Ela disse que pretende regularizar sua situação até agosto.
Veja Mais

21/07 - Florada da cerejeira é um espetáculo
Sítio em Piedade tem mais de mil cerejeira. Florada da cerejeira é um espetáculo Reprodução/TV TEM A flor da cerejeira é um dos símbolos do Japão. Adorada como a própria bandeira ou o hino nacional, ela é cultivada por descendentes japoneses e preservada por gerações. Elas são pequenas, mas juntas causam uma explosão de cor entre os galhos secos das árvores. Em um sítio em Piedade (SP), mais de mil árvores formam uma floresta rosa. É a época mais esperada do ano por Gokithi Akisue , que plantou as árvores há quase 40 anos só para apreciar as floradas. Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 21/07/2019) Florada da cerejeira é um espetáculo Os fãs da cerejeira têm pouco tempo para admirar tanta beleza. Nesta época, é comum ver as pessoas passando horas debaixo das árvores. A tradição diz que quando uma flor cai sobre a cabeça isso traz muita sorte. As flores duram apenas duas semanas e são vários anos até a primeira florada. Gokithi entende bem como é isso. Ele diz que se fosse se incomodar com a demora, não plantaria as árvores. Mas, ao contrário, ele pretende cultivar muito mais. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes Sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo
Veja Mais

21/07 - Tecnologia ajuda na produção de ovos
Produtores de Bastos (SP) tentam reduzir custos e ampliar produção. Tecnologia ajuda na produção de ovos Reprodução/TV TEM A granja de Sérgio Kakimoto, em Bastos, passa o ano cheia de galinhas. São 900 mil aves que botam mais de 500 mil ovos todos os dias. No inverno, a produção cai um pouco, ficando abaixo de 470 mil. Além disso, as galinhas comem mais ração, cerca de 10 gramas a mais por dia na comparação com outras épocas do ano. O gasto mensal com energia elétrica é de R$ 60 mil e a conta aumenta nos meses de inverno. Para diminuir o custo de produção, o criador investiu R$ 1 milhão em painéis solares. O equipamento deve cobrir 80% dos gastos relativos ao depósito de ovos, que representa o maior consumo da granja. Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 21/07/2019) Tecnologia ajuda na produção de ovos Bastos é conhecida como a Capital Nacional do Ovo. Em 2017, produziu 20,5 milhões de ovos por dia. No ano passado, essa produção aumentou em 1 milhão de ovos, o que dá 249 ovos por segundo. O produtor Katsuhide Maki preside o Sindicato Rural de Bastos e diz que graças à tecnologia, a produção local cresce em média 5% ao ano. Isso ajuda a garantir centenas de empregos diretos e indiretos. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes Sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo
Veja Mais

21/07 - É época de colher nêspera
Município de São Miguel Arcanjo é um dos maiores produtores do Estado. É época de colher nêspera Reprodução/TV TEM As nêsperas estão no ponto na plantação de Toshiyuki Kanegane, mas para vê-las é preciso retirar os papéis que cobrem os cachos. É um cuidado que o produtor toma para proteger a safra, afinal a fruta é bastante sensível. O produtor lembra que as folhas de jornal protegem a nêspera das temperaturas altas, do vento e, principalmente, do ataque dos passarinhos. São Miguel Arcanjo é um dos principais produtores de nêspera do Estado. É o segundo município que mais envia a fruta para a Ceagesp da Capital. São mais de 260 toneladas por ano. Desta vez, a colheita foi antecipada devido às temperaturas mais altas. Toshiyuki está tendo muito trabalho e já fez as contas: deve colher 8 toneladas por hectare. Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 21/07/2019) É época de colher nêspera O ciclo da fruta vai de maio a setembro. Nesse período, dá para ver as árvores em diferentes estágios: com florada, com os primeiros frutos e também com nêsperas já prontas para serem colhidas. Na propriedade de Marcelo Furusho, o esforço é para entregar as frutas no máximo duas semanas depois da colheita. Caso demore demais, o sabor é alterado e a nêspera perde qualidade. Marcelo tem 200 árvores e espera colher 12 toneladas. As caixas de 5 quilos devem ser vendidas a R$ 30,00. Já o preço das caixas com nêsperas mais graúdas gira em torno de R$ 50,00. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes Sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo
Veja Mais

21/07 - Produtores de Jales estão animados com safra de uva
Plantações foram beneficiadas pelo clima e a produtividade está agradando. Produtores de Jales estão animados com safra de uva Reprodução/TV TEM Quem gosta de uva não tem como não se encantar com as videiras carregadas. É um visual que Daniela Martins Prina se acostumou a ver de perto há 25 anos. Ela diz que desde criança frequentava o parreiral, brincando enquanto os pais trabalhavam. Com o passar do tempo, começou a ajudar a tocar a plantação em Palmeira d’Oeste (SP). Desde o início de junho, pai, mãe e filha deram início à colheita de mais uma safra de uva niágara rosada, variedade que se encaixa bem na agricultura familiar. Antônio Roberto Prina conta que a variedade exige um pouco menos de mão de obra. Em 1,5 hectare, a expectativa é colher 28 toneladas até novembro. A maioria das frutas vai para a Capital Paulista e para Campinas. Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 21/07/2019) Produtores de Jales estão animados com safra de uva Na propriedade de João Guilherme Cardoso, as uvas vão também para outras capitais do País. A família dele está no ramo há mais de 20 anos. Ele está satisfeito e conta que a atual safra é a melhor dos últimos 8 anos. O produtor prevê colher de 120 a 150 toneladas, mesmo tendo diminuído um pouco a área de cultivo. Se cada pé produziu no ano passado aproximadamente 45 quilos, nesta safra a produtividade prevista é de 60 quilos. O clima ajudou, segundo o agrônomo Roberto Finotelo. Choveu pouco no início das podas, em fevereiro e março, e na época da florada. Com isso, a incidência de doenças foi menor. No sítio, além da Itália e da benitaka, existem outras 4 variedades, entre elas a vitória, um pouco mais valorizada no mercado: em média, R$ 2,00 a mais que as outras uvas. Nesse início de safra, a vitória (uva sem sementes) está sendo vendida por R$ 6,00 o quilo. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes Sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo
Veja Mais

21/07 - Concursos: 12 órgãos abrem inscrições na segunda para preencher quase 800 vagas
As oportunidades são para profissionais de todos os níveis de escolaridade em cidades de 9 estados. Concursos abrem inscrições nesta segunda Marcelo Brandt/G1 Na segunda-feira (22), 12 concursos abrem inscrições para preencher 784 vagas. As oportunidades são para profissionais de todos os níveis de escolaridade em cidades de 9 estados - Amazonas, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso. CONFIRA AQUI A LISTA COMPLETA DE CONCURSOS E OPORTUNIDADES Os salários chegam a R$ 16.406,20 na Prefeitura de Luzerna (SC), que tem 7 vagas para profissionais de todos os níveis de escolaridade. As inscrições terminam no dia 20 de agosto, e devem ser feitas pelo site da organizadora. Somente no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA - GO), há 289 vagas. Para se candidatar, é preciso ter ensino médio ou superior completo. A remuneração chega a R$ 8.514,45, e as inscrições devem ser feitas até o dia 9 de setembro no site da organizadora. Veja abaixo órgãos que abrem inscrições nesta segunda: Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA - GO) Encerramento das inscrições: 09/09/2019 Vagas: 289 Salário até: R$ 8.514,45 Escolaridade: médio e superior Estado: Goiás Veja mais informações Consórcio Intermunicipal da Rede de Urgências do Sudoeste do Paraná (CIRUSPAR) Encerramento das inscrições: 15/08/2019 Vagas: 56 Salário até: R$ 12.151,45 Escolaridade: fundamental, médio, técnico e superior Estado: Paraná Veja mais informações Fundação Universidade do Amazonas (UFAM) Encerramento das inscrições: 26/07/2019 Vagas: 58 Salário até: R$ 3.126,31 Escolaridade: superior Estado:Amazonas Veja mais informações Marinha Encerramento das inscrições: 16/08/2019 Vagas: 90 Escolaridade: médio Local: Rio de Janeiro Estado: Rio de Janeiro Veja mais informações Prefeitura de Cunha (SP) Encerramento das inscrições: 19/08/2019 Vagas: 32 Salário até: R$ 8.404,40 Escolaridade: fundamental, médio e superior Local: Cunha Estado: São Paulo Veja mais informações Prefeitura de Itainópolis (PI) Encerramento das inscrições: 25/08/2019 Vagas: 131 Salário até: R$ 3.500,00 Escolaridade: fundamental, médio e superior Local: Itainópolis Estado:Piauí Veja mais informações Prefeitura de Luzerna (SC) Encerramento das inscrições: 20/08/2019 Vagas: 7 Salário até: R$ 16.406,20 Escolaridade: fundamental, médio e superior Local: Luzerna Estado: Santa Catarina Veja mais informações Prefeitura de Rio Novo (MG) Encerramento das inscrições: 12/08/2019 Vagas: 45 Salário até: R$ 2.700,00 Escolaridade: fundamental, médio e superior Local: Rio Novo Estado: Minas Gerais Veja mais informações Prefeitura de Rubim (MG) Encerramento das inscrições: 11/08/2019 Vagas: 9 Salário até: R$ 1.250,00 Escolaridade: médio Local: Rubim Estado: Minas Gerais Veja mais informações Prefeitura de Santa Cruz de Minas (MG) Encerramento das inscrições: 21/08/2019 Vagas: 10 Salário até: R$ 3.685,85 Escolaridade: fundamental, médio e superior Local: Santa Cruz de Minas Estado: Minas Gerais Veja mais informações Prefeitura de Santo Antônio do Monte (MG) Encerramento das inscrições: 24/07/2019 Vagas: 16 Salário até: R$ 2.473,56 Escolaridade: fundamental, médio e superior Local: Santo Antônio do Monte Estado: Minas Gerais Veja mais informações Prefeitura de Várzea (PB) Encerramento das inscrições: 22/08/2019 Vagas: 41 Salário até: R$ 10.000,00 Escolaridade: fundamental, técnico e superior Local: Várzea Estado: Paraíba Veja mais informações
Veja Mais

21/07 - Produtores apostam em safra mais produtiva de laranja em 2019, no Paraná
Indústria tem investido no beneficiamento da fruta para exportar suco e óleo essencial. Safra da laranja deve ser mais produtiva este ano Produtores de laranja do norte do Paraná estão apostando em uma safra de laranja mais produtiva em 2019. Indústrias têm investido no beneficiamento da fruta para exportar suco e óleo essencial. Assista a reportagem acima. Veja mais notícias na página do Caminhos do Campo.
Veja Mais

21/07 - Única propriedade para criação de lhamas do Brasil fica em Campina Grande do Sul, no Paraná
Segundo criador, animais se adaptaram bem ao clima da Região Metropolitana de Curitiba. A única propriedade de lhamas do Brasil fica no Paraná A única propriedade onde são criadas lhamas no Brasil fica em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. Segundo o criador Davi Lima dos Santos, os animais se adaptaram bem ao clima da região. Assista a reportagem acima. Veja mais notícias na página do Caminhos do Campo.
Veja Mais

21/07 - Ovelha dá à luz trigêmeos no noroeste do Paraná
Produtor comprou animal sem saber que ela estava prenha; propriedade fica em São Carlos do Ivaí. Ovelha dá à luz trigêmeos na região Noroeste Uma ovelha deu à luz trigêmeos em uma propriedade rural de São Carlos do Ivaí, no noroeste do Paraná. O produtor Laércio Guedes contou que comprou o animal sem saber que ela estava prenha. Como a ovelha consegue amamentar dois filhotes por vez, os animais estão recebendo cuidados extras dele na alimentação. Assista a reportagem acima. Veja mais notícias na página do Caminhos do Campo.
Veja Mais

20/07 - Primeiro aplicativo de licitações voltado para agricultura familiar é lançado na Bahia
Sistema vai facilitar e agilizar o acesso de organizações produtivas a fornecedores de bens, serviços e obras de todo o país. Aplicativo já pode ser baixado no sistema Android Divulgação Foi lançado em Salvador o primeiro aplicativo de licitações do Brasil, o Solução Online de Licitação (SOL). O sistema vai facilitar e agilizar o acesso de organizações produtivas da agricultura familiar baiana a fornecedores de bens, serviços e obras, de todo o país. Além disso, o SOL vai possibilitar transparência nas aquisições, gerar eficiência na gestão de recursos públicos, vai movimentar a economia local e fortalecer a economia baiana. O SOL será utilizado por associações e cooperativas da agricultura familiar beneficiadas pelo Bahia Produtiva, projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). O aplicativo foi desenvolvido em pelo Governo da Bahia, por meio do Bahia Produtiva, em parceria com o Projeto Governo Cidadão, executado pela Secretaria do Planejamento e das Finanças do Estado do Rio Grande do Norte, tendo como apoio do Banco Mundial. O aplicativo garante a integridade do processo licitatório. O lançamento ocorreu no dia 9 de julho. Cadastro O SOL está disponível na Play Store e, em breve, na Apple Store. Fornecedores de todo o país podem baixar o aplicativo e se cadastrar, acessar as oportunidades em andamento e enviar as propostas. A previsão é que, a partir de dezembro deste ano, as associações e cooperativas da agricultura familiar contempladas com recursos do Bahia Produtiva realizem compra de bens e serviços somente por meio do SOL. A Cooperativa de Jovens Produtores Rurais do município de Água Fria, no Território Portal do Sertão, com 216 famílias cooperadas, foi a primeira a utilizar o aplicativo SOL, em fase de teste. A entidade foi contemplada pelo edital Alianças Produtivas, do Bahia Produtiva, com investimentos que estão sendo aplicados para fortalecer a atividade de avicultura. Para o representante da cooperativa, Rafael Santos Borges, o sistema é ágil e eficiente. Segundo ele, foram comprados notebook, GPS e outros equipamentos em tempo recorde. Rafael ainda destacou que o sistema responde automaticamente: é só colocar a licitação e já vem tudo pronto.
Veja Mais

20/07 - Café produzido no DF é o primeiro do centro-oeste a ser premiado na Itália
'Nem fazia parte dos meus planos' diz Carlos Alberto Coutinho. Produtor do Lago Oeste se prepara para outra etapa do concurso, em Nova Iorque. Carlos Alberto Coutinho e a esposa são produtores de café no DF Emater-DF/ Divulgação Carlos Alberto Coutinho, de 73 anos, tem oferecido um produto que chamou a atenção de distribuidores e também de apreciadores de café expresso gourmet – no Brasil e no mundo. O produtor do Lago Oeste, em Brasília, foi o primeiro da região Centro-Oeste do país a ser finalista no prêmio da empresa italiana Illy. "Não fazia parte dos meus planos e nem imaginava que nós tivéssemos esse potencial", disse Coutinho. O prêmio foi recebido como "uma agradável surpresa". "No início, o plantio não tinha maiores intenções comerciais e nem eu desconfiava que nós estivéssemos em uma situação tão privilegiada." Os grãos da safra 2018/2019, cultivados no Lago Oeste, estavam entre 1.174 amostras analisadas pela empresa. Apenas 40 chegaram a finalistas na 28ª edição do Prêmio Ernesto Illy de Qualidade Sustentável do Café para Expresso e três produtores foram escolhidos como os melhores: dois de Minas Gerais e um de Brasília. Em outubro, Coutinho e os dois mineiros viajam para Nova York onde participam do 4º Prêmio Ernesto Illy Internacional. O encontro reunirá 27 produtores de nove países. No evento também será revelada a ordem de classificação entre os grãos do DF e de Minas Gerais (primeiro, segundo e terceiro colocados). "Foi um processo natural de aprimoramento até chegar a essa situação e eu espero que isso possa se irradiar pela região, porque realmente, nós, aqui no DF, temos um grande potencial para essa produção de cafés especiais", afirma o cafeicultor. Como tudo começou Propriedade no Lago Oeste, onde é produzido café premiado do DF Emater-DF/ Divulgação Carlos Alberto Coutinho começou a plantar café em 2003. O café veio depois de uma tentativa frustrada de criar gado de leite, da raça holandesa, que quase o levou à falência, conforme contou ao G1. "A ideia inicial era apenas ter um cultivo como forma de terapia ocupacional", relembra. Depois de vender o gado, em 2002, um dos funcionários dele falou da possibilidade de plantarem café. O problema, explica Coutinho, é que ele não encontrou mudas em Brasília. "Comentei essa dificuldade com um conhecido que mandou um caminhão de mudas para mim. Quando cheguei na fazenda e vi aquele mundo de mudas comecei a plantar." Desde então, o produtor visitou propriedades, assistiu a seminários, foi a feiras especializadas, ouviu histórias e recebeu apoio da Embrapa e da Emater-DF. Em 2010, ele começou a fornecer café para a Illy, empresa italiana de torrefação. Produção O cafeicultor de Brasília explica que o café é uma planta de clima tropical que, se tiver calor e umidade, flora o ano inteiro. "Isso acaba valorizando a região do DF para a plantação", diz Coutinho. "O café daqui tem um equilíbrio ideal entre o açúcar e a acidez." Na propriedade do Lago Oeste, o plantio do café é feito de dezembro a fevereiro, que é o período de chuva. A colheita é entre os meses de maio e julho. A maior parte do café produzido por Coutinho vai para a Itália e, de lá, para o mundo. A empresa Illy, responsável pela distribuição, está presente em 140 países. No último ano, com a boa safra de café, Coutinho acabou vendendo uma parte da produção para a multinacional Olam e para uma torrefadora de Formosa (GO). Café de marca própria, produzido pela família de Carlos Alberto Coutinho Emater-DF/ Divulgação Café gourmet Com o prêmio, o café do Lago Oeste começou a ser procurado. No entanto, o produtor de Brasília não tem autorização para vender o produto torrado. De acordo com a legislação, como produtor rural, para vender café torrado e moído é preciso ter uma empresa. "Eu torro o café só para o meu consumo, mas as pessoas procuram." Esse próximo passo já está sendo pensado pela família Coutinho. A esposa do cafeicultor, Laíse, e os filhos do casal estão trabalhando no lançamento de uma marca própria. A ideia é vender o produto para os estabelecimentos da capital. "A ideia é fazer uma linha de cafés gourmet, em parceria com cafeterias da cidade", conta o produtor. Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Veja Mais

20/07 - China abre setor financeiro para mais investimentos estrangeiros
País vai remover limites de participação de estrangeiros para a compra de ações e fundos de investimento em 2020. A China suspendeu neste sábado (20) algumas restrições ao investimento estrangeiro no setor financeiro, num momento em que a segunda maior economia do mundo luta contra a desaceleração do seu crescimento e enfrenta uma guerra comercial com os Estados Unidos. A bandeira da China é vista na sede de um banco no centro de Pequim Kim Kyung-Hoon/Reuters A China removerá os limites de participação de estrangeiros para possuir ações e fundos de investimento em 2020, um ano antes do originalmente planejado, informou o Comitê de Desenvolvimento e Estabilidade Financeira em um comunicado divulgado pelo Banco Central neste sábado. Os investidores estrangeiros também serão incentivados a criar empresas de gestão de fundos, câmbio e previdência, de acordo com o comunicado. Há muito tempo Pequim promete abrir sua economia para a participação de empresas e investimentos estrangeiros, mas geralmente se embaralha quando se trata de tornar essas promessas realidade. O anúncio deste sábado ocorreu depois de uma reunião na sexta-feira de autoridades focadas em como lidar com os riscos financeiros e apoiar o crescimento, de acordo com um comunicado do Conselho de Estado.
Veja Mais

20/07 - Dodge é contra obrigar Petrobras a abastecer navios iranianos parados no porto de Paranaguá
Presidente do STF ainda dará decisão definitiva sobre o caso. TJ do Paraná havia obrigado abastecimento, mas Dias Toffoli suspendeu até governo e PGR se manifestarem. PGR se manifesta contra liminar que obriga Petrobras a abastecer navios iranianos A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, declarou nesta sexta-feira (19) ser contra obrigar a Petrobras a fornecer combustível a duas embarcações iranianas que estão no porto de Paranaguá, no Paraná. O parecer da procuradora foi enviado ao ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), que ainda terá que decidir se obriga ou não a Petrobras a abastecer os navios. A Petrobras não abasteceu as embarcações porque a empresa à qual elas pertencem estão sob sanções dos Estados Unidos. Para Dodge, a empresa não comprovou que tem direito ao combustível da Petrobras e pode obter o produto de outra forma, como, por exemplo, pedindo envio de combustível iraniano para abastecer os navios. Além disso, a procuradora considera que deve ser levado em conta o argumento do Brasil de que pode haver prejuízo para as relações diplomáticas com os Estados Unidos (EUA). A procuradora-geral da República, Raquel Dodge Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil A empresa Eleva Química, dona dos navios, afirmou, por meio de nota, que "estranhou" o parecer da procuradora, uma vez que "não existem sanções possíveis ao comércio de alimentos e remédios, e a carga do navio é exclusivamente de milho". Segundo a empresa, a demora num desfecho para o caso gera o risco de uma "grave crise ambiental" no porto, uma vez que a carga contém conservantes. Por fim, a Eleva Química argumenta que há também a "iminência de uma crise humanitária, já que há 50 tripulantes a bordo confinados há um mês e meio no local sem poder desembarcar". Os navios da empresa Eleva Química, chamados Bavand e Termeh, vieram ao Brasil carregados de ureia e deveriam retornar ao Irã com milho brasileiro. Eles estão parados desde o início de junho. O Bavand já carregado com 48 mil toneladas de milho e está fundeado em frente ao porto de Paranguá. O Termeh ainda está vazio e está a cerca de 20 quilômetros do porto. Juntos, eles podem transportar 100 mil toneladas, que podem valer até R$ 100 milhões. A primeira instância da Justiça no Paraná negou obrigar o abastecimento porque não viu provas apontadas pela empresa Eleva Química "da alegada internação de tripulantes por problemas de saúde relacionados com a falta de combustível nas embarcações, bem como de eventual risco ambiental decorrente da permanência dos navios no Porto". A empresa recorreu, e um desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná deu liminar (decisão provisória) com prazo para abastecimento sob pena de multa diária. A presidência do TJ negou recurso da Petrobras, que recorreu ao Supremo. No recurso, a Petrobras argumentou que está "sendo compelida" a fornecer combustível e "que a execução dessa decisão tem o potencial de causar prejuízos em suas relações comerciais, impactando negativamente interesses públicos primários da perspectiva da ordem administrativa e econômica internacional”. No último dia 10 de julho, Toffoli suspendeu a decisão que obrigava o abastecimento até que a União e a PGR se manifestassem, o que já aconteceu. Agora, ele deve dar uma nova decisão sobre o tema nos próximos dias. Toffoli argumentou que tudo começou numa vara federal, mas o juiz mandou para a justiça estadual porque a União não manifestou interesse. Segundo o presidente do STF, é preciso "oportunizar" que a União se manifeste. No parecer, Dodge afirma que a União afirmou que "a empresa Eleva estaria importando ureia do Irã, produto que também se encontra sancionado pelos Estados Unidos da América". "O fornecimento de combustível para embarcações de empresa estrangeira inscrita na lista dos EUA pode ensejar graves penalidades para a Petrobras e, por consequência, para o próprio Estado brasileiro, conforme por ela alegado nesta petição. No caso sob exame, repontam evidentes as gravíssimas consequências para a ordem e a economia pública que o cumprimento da decisão objurgada pode causar, não só para a Petrobras, mas para o próprio Estado brasileiro, já que a União é acionista majoritária dessa petrolífera."
Veja Mais

20/07 - Juro baixo e mudanças no BNDES abrem espaço para mercado de crédito privado no país
No ano passado, captações com papéis de dívida de empresas somaram R$ 153,7 bilhões e alcançaram volume recorde. Letreiro do BNDES no Rio de Janeiro Nacho Doce/Reuters A combinação de juros baixos e mudança na política para concessão de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) alterou a dinâmica de captação de recursos no país. Atualmente, com o custo mais alto para tomar empréstimos no banco público e o rendimento mais baixo dos títulos do Tesouro, o mercado de renda fixa privada vem crescendo. Essa mudança pode ser vista no volume captado pelas empresas por meio das debêntures (papéis de dívida de empresas). No ano passado, elas arrecadaram um recorde de R$ 153,7 bilhões. Foram 335 emissões, 25% delas incentivadas. Só no primeiro semestre de 2019, o volume captado foi de R$ 84,6 bilhões, em 133 operações, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Se o avanço do crédito privado se consolidar ao longo dos anos, o Brasil vai lidar com uma importante transformação estrutural. Por tempos, o crédito público foi o principal financiador de grandes companhias brasileiras. Na sexta-feira (19), o novo presidente do BNDES, Gustavo Montezano, reforçou que o banco deve reduzir a concessão de empréstimos. Debêntures ganham espaço Diana Yukari/Arte G1 "Em anos passados, o aumento de recursos emprestados pelo BNDES e o avanço da taxa de juros praticamente inibiram o desenvolvimento do mercado de capitais e, particularmente, do mercado de dívida corporativa", afirma o diretor do Centro de Estudos de Mercado de Capitais da Fipe (Cemec-Fipe), Carlos Antonio Rocca. O que explica o aumento do crédito privado: O BNDES passou a cobrar mais caro para emprestar, o que obrigou as empresas a buscarem novas fontes de financiamento; A queda da taxa básica de juros nos últimos anos e a expectativa de novos cortes têm levado a investidores a ampliarem o leque de apostas. Hoje, os papéis do Tesouro já não rendem tanto quanto no passado, abrindo espaço para novos produtos. De 2016 até abril do ano passado, a taxa básica de juros foi reduzida pelo Banco Central de 14,25% ao ano para os atuais 6,25% ao ano, o nível mais baixo da história. A Selic funciona como uma espécie de guia para todo o mercado, inclusive para as empresas. Quando ela cai, é um indício de que o custo para tomar crédito pode ficar mais baixo. Ao mesmo tempo, o BNDES passou a cobrar mais caro pelos seus empréstimos. O banco de fomento instituiu em janeiro de 2018 uma nova taxa, mais próxima das praticadas por outros bancos e menos subsidiada, a Taxa de Longo Prazo (TLP), que substituiu a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP). Hoje, não à toa, em alguns casos, é mais barato para as grandes empresas captarem por meio do crédito privado. Um levantamento do Cemec mostra, por exemplo, que o juro médio cobrado pelo BNDES está em 9,91% ao ano. Já é um valor acima do das debêntures (8,26%) e pouco inferior ao oferecido pelos bancos para as grandes empresas, a chamada Taxa Preferencial Brasileira (10,8%). Juros mais baixos Diana Yukari/Arte G1 "A Taxa Preferencial Brasileira passa a cair exatamente quando as empresas começam a emitir debêntures", diz Rocca, diretor do Cemec. "Isso sugere fortemente que o mercado de capitais compensou a falta de oferta do BNDES. [Com a nova política] o banco passou, de certa forma, a ser um promotor do mercado de dívida corporativa." Soma-se a todo esse quadro a expectativa do mercado de que os juros voltem a cair diante do cenário de fraqueza econômica e do encaminhamento da reforma da Previdência no Congresso, um pontapé inicial para o acerto das contas do governo. No relatório Focus, os economistas consultados estimam que a Selic vai encerrar o ano em 5,5%. Esse movimento já é visto na remuneração dos títulos da dívida pública. Num dos leilões mais recentes realizados pelo Tesouro Nacional, em 11 de julho, a taxa para o Tesouro Prefixado (antiga LTN), com vencimento em 24 meses, por exemplo, estava em 5,90% ao ano. Um mês antes, o juro era de 6,25% ao ano e, um ano antes, de 8,93%. Dessa forma, pela lógica de quem investe, o rendimento mais baixo de papéis do Tesouro tende a aumentar a busca por debêntures e outros produtos de renda fixa privada, que remuneram melhor. "O mercado está antecipando um provável movimento do Banco Central. Começa-se a construir um cenário de maior equilíbrio fiscal e abre-se espaço para a queda da Selic", avalia o professor de finanças do Insper Ricardo Humberto Rocha. Juros de títulos do Tesouro Diana Yukari/Arte G1 Prazos maiores, mas ainda insuficientes Os prazos das debêntures também se alongaram, o que sinaliza financiamento de projetos mais robustos. Apesar de mais extensos, os vencimentos desses papéis, de até 14 anos, ainda não atendem de forma significativa projetos de infraestrutura, de até 25 anos. Nesses casos, o financiamento público ainda é relevante, ressalta Rocca, do Cemec. O banco também segue como um importante financiador das empresas de menor porte, com faturamento inferior a R$ 200 milhões, que têm dificuldade de acessar o mercado de dívida, segundo ele. "O BNDES continua tendo o papel dele e alguns projetos continuarão sendo financiados por ele, e tem que ser assim, mas temos que ter um bom mix [entre financiamento público e privado]", afirma José Eduardo Laloni, vice-presidente da Anbima. Fundos O patrimônio líquido da indústria de fundos bateu recorde de R$ 5 trilhões no primeiro semestre deste ano, outro reflexo dos juros baixos e da busca dos investidores por rendimentos mais altos, segundo os especialistas ouvidos pelo G1. O volume é 15,4% maior do que acumulado até o fim de 2018. Os fundos são uma modalidade em que o dinheiro é aplicado de forma coletiva e cada investidor é dono de uma cota. O investimento pode ser feito em ações, produtos de renda fixa, ou em uma mistura dos dois. A captação líquida dos fundos de investimento foi de R$ 130,8 bilhões no semestre, contra R$ 45,6 bilhões nos seis primeiros meses de 2018. "É o mercado de aplicações em poupança, CDB e instrumentos tradicionais de menor risco [como os títulos públicos], indo para a indústria de fundos, com possibilidade de correr mais riscos, provar ganhos maiores", avalia Laloni. Outros produtos que podem ganhar mercado são os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs) e, num segundo momento, os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), segundo os especialistas. Captação interna x externa O cenário de juros baixos e o desenvolvimento do mercado de capitais mexeu também com a origem de captação das empresas. "Quando se começa a ter um mercado de capitais local, uma parte desse mercado [externo] vem para cá. Porque para algumas empresas é ideal tomar empréstimo na sua própria moeda", diz Laloni, da Anbima. No primeiro semestre deste ano, as emissões de produtos de renda fixa no Brasil somaram R$ 124,4 bilhões, contra R$ 46,5 bilhões no exterior, de acordo com dados da Anbima. As estatísticas consideram debêntures, notas promissórias, letras financeiras, CRAs, CRIs e FIDCs. "Sempre que há a combinação de inflação baixa, fiscal controlado e juros baixos, se consegue transferir parte dos recursos alocados no Tesouro para a renda fixa privada", diz Rocha, do Insper.
Veja Mais

20/07 - Twitter da Scotland Yard é hackeado
Polícia de Londres explica que a pirataria parece ter atingido apenas um serviço externo que gerencia suas ferramentas de comunicação. Conta tem 1,22 milhão de seguidores. Conta no Twitter da Scotland Yard foi hackeado Reprodução/ Polícia Metropolitana de Londres A Polícia Metropolitana de Londres, também chamada de Scotland Yard, foi vítima na noite de sexta-feira (19) de um ataque de hackers que usaram sua conta no Twitter e suas mensagens eletrônicas para espalhar insultos e mensagens enigmáticas. "F... A POLÍCIA", podia ser lido em uma mensagem postada à noite, entre outros e-mails mais ou menos compreensíveis. As mensagens piratas na conta do Twitter, que tem 1,22 milhão de seguidores, foram removidas mais tarde. A Scotland Yard explica que a pirataria parece ter atingido apenas um serviço externo que gerencia suas ferramentas de comunicação. A polícia de Londres "usa um provedor online chamado MyNewsDesk para publicar press releases e outros conteúdos", disse a Scotland Yard em um comunicado. "Achamos que o único problema de segurança diz respeito ao acesso a nossa conta MyNewsDesk", disse a polícia de Londres.
Veja Mais

20/07 - Falha grave é confirmada em servidor web da Zoom no macOS
Programa já tinha falha que deixava webcam exposta, mas nova brecha abre sistema para ataques com vírus. Software de videoconferência permitia que qualquer site ligasse a webcam do usuário e deixou sistemas macOS exposto a ataques. Divulgação O servidor web instalado pelo software de conferência on-line Zoom no macOS, que não era desinstalado junto com o programa, tem uma falha que permite que hackers instalem vírus no computador apenas com uma visita a uma página web. A brecha foi confirmada pelo especialista William Bowling e pela empresa de segurança Assetnote. No macOS, o sistema usado em computadores e notebooks da Apple, o Zoom instalava um componente chamado de ZoomOpener. O objetivo era driblar uma restrição imposta pela Apple que impedia a entrada em reuniões com um só clique no navegador Safari. O ZoomOpener atua como um "servidor web local", ficando sempre na memória para aguardar certos comandos, como "abrir o Zoom na reunião X". Além dessa prática ser perigosa, o ZoomOpener não era desinstalado junto com o aplicativo principal e mesmo quem desinstalou o programa ficou com esse software "fantasma" no computador. A Zoom passou a ser criticada por esse software quando uma vulnerabilidade que deixava a webcam exposta para qualquer site na internet foi divulgada no dia 8 de julho. A Assetnote divulgou nesta quarta-feira (17) um relatório técnico que explica como é possível explorar uma segunda vulnerabilidade, mais grave que a primeira, no ZoomOpener. Em vez de apenas expor a webcam, essa falha deixa todo o sistema do usuário exposto a ataques. O relatório confirma os rumores de que o servidor web tinha uma falha mais grave do que os problemas admitidos pela Zoom. A brecha é relativamente fácil de ser explorada. Como o ZoomOpener está sendo removido pelo próprio macOS, quem mantém o sistema atualizado já está imune a esses ataques. Remoção pela Apple Após receber críticas com a divulgação da falha no dia 8 de julho, a Zoom decidiu remover o "ZoomOpener" do programa por meio de uma atualização no último dia 9. A Zoom, no entanto, ficou com um problema: a atualização não chegaria aos usuários que já desinstalaram o programa da Zoom, obrigando a empresa a pedir a ajuda da Apple. A Apple incluiu o servidor web da Zoom na lista de programas removidos por sua ferramenta antivírus embutida no macOS, a Apple Malware Removal Tool (MRT). Na prática, o programa é reconhecido como um vírus e removido pelo mecanismo de segurança da Apple. Embora circulassem rumores de uma falha ainda mais grave no componente, a Zoom afastou outras preocupações de segurança e declarou que a remoção seria feita para atender às sugestões de seus clientes. Esses rumores foram agora confirmados. Usuários devem manter o macOS atualizado para garantir que qualquer vestígio do ZoomOpener seja removido. Versões recentes do software da Zoom não mais instalam esse recurso do programa. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Selo Altieres Rohr Ilustração: G1
Veja Mais

20/07 - Como vai ser a rodada do Brasileiro? Confira as minhas previsões
Previsões para o Brasileiro Reprodução O Improvável aconteceu: Tiago Maranhão reagiu e está mais vivo do que nunca no Troca de Chutes, nossa disputa que vai ao ar no Troca de Passes, do Sportv, antes de cada rodada do Campeonato Brasileiro. Nosso modo que calcula as minhas previsões, mais uma vez foi bem, acertando os placares de Corinthians 1x0 CSA e Athletico-PR 1x0 Internacional e mais cinco resultados na décima rodada. Um total de 15 pontos. Mas os deuses da aleatoriedade ajudaram Tiago: além desses resultados, ele acertou os placares de São Paulo 1x1 Palmeiras, Fortaleza 2x0 Avaí e Fluminense 1x1 Ceará. Como também acertou outros dois resultados, marcou 27, a melhor pontuação nas dez rodadas do Campeonato Brasileiro e na história do Troca de Chutes. Com isso, diminuiu nossa vantagem na disputa: Time Samy Dana 124 x 111 Tiago Maranhão Será que vem reação por aí? Vamos esperar, pois a rodada já começa neste sábado, com cinco jogos. A previsão, baseada no modelo da Futscience, é de Vasco 1x0 Fluminense no clássico carioca, em São Januário. Mas também temos uma provável vitória do Bahia sobre o Cruzeiro (1 a 0), do líder Palmeiras sobre o Ceará fora de casa (0x1), do CSA para o Athletico-PR (0x1) e do Inter no clássico Gre-Nal (1 a 0). Confira os outros placares e também as probabilidades de cada resultado: Que tal também fazer as suas apostas? Depois é esperar o término da rodada e conferir.
Veja Mais